Escritor Leonardo Padura descreve "estado de ódio" em Cuba

Em entrevista à Folha de S.Paulo, o escritor e jornalista cubano Leonardo Padura se posicionou contra uma intervenção externa e criticou o fundamentalismo dos dois lados do espectro político

Leonardo Padura
Leonardo Padura (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O escritor e jornalista cubano Leonardo Padura, uma das personalidades mais influentes de seu país, respondeu às críticas que vem recebendo, após ter afirmado que o embargo econômico dos Estados Unidos é responsável pela crise que aflige a ilha caribenha.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, Padura se posicionou contra uma intervenção externa e criticou o fundamentalismo dos dois lados do espectro político.

"O estado de ódio implica que seu opositor, aquele que não concorda com suas ideias, é seu inimigo. E com o inimigo se luta, com muitas armas, ou com todas as armas", avaliou o escritor.

PUBLICIDADE

"Por exemplo, agora mesmo, por mencionar num artigo que, entre os diversos problemas que gravitaram sobre a crise que hoje se vive em Cuba, está o bloqueio ou embargo norte-americano, disseram que eu sou porta-voz do regime ou algo parecido. Como se o bloqueio ou embargo não fosse uma realidade", prosseguiu.

"E como é o ódio do outro lado? No outro lado do espectro político, obviamente, estão os que consideram que falar de inconformismos, de necessidades, de falta de expectativas de futuro, de perda de esperança, é um ataque ao sistema. Ou que escrever o que eu escrevi durante anos também é, como me disse um funcionário do regime cubano quando o filme "Retorno a Ítaca" [produção de 2014 baseada em romance do autor] foi censurado. Ele me disse que os conflitos dos personagens não eram pessoais, mas com o sistema. Para uma Cuba inclusiva e melhor precisamos de acordos, soberania, liberdade de expressão e pensamento. O fundamentalismo funciona com outras cargas, incluindo o ódio ao outro", completou.

PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email