Livro “Como Conversar com um Fascista”, de Marcia Tiburi, vai virar filme

“Esse tema não cessa de se atualizar na prática e na vida cotidiana”, disse a filósofa Marcia Tiburi. Liliane Mutti e Daniel Zarvos ajudarão na produção e na direção do filme

www.brasil247.com - Marcia Tiburi, Daniel Zarvos e Liliane Mutti
Marcia Tiburi, Daniel Zarvos e Liliane Mutti (Foto: Divulgação)


247 - O livro “Como Conversar com um Fascista”, da filósofa e escritora Marcia Tiburi, está sendo negociado pela Filmz - produtora franco-brasileira capitaneada por Daniel Zarvos, com sede no Marais, em Paris, na França. A direção do filme deve sob responsabilidade de Liliane Mutti, diretora, entre outros, do curta-metragem Elle, sobre Marielle Franco, que está percorrendo festivais no mundo inteiro. 

“Eu estou adorando pensar o roteiro a partir da peça”, disse Tiburi. “É um desafio altamente instigante para mim, pois já escrevi vários estudos e ensaios sobre o fascismo contemporâneo, mas infelizmente esse tema não cessa de se atualizar na prática e na vida cotidiana”, afirmou.

Para a diretora do filme, "em tempos de reeleição de Viktor Orbán na Hungria, de extrema direita ameaçando mais uma vez o segundo turno na França, além do próprio cenário político brasileiro, a adaptação de ‘Como Conversar com um Fascista’, para o cinema é mais do que necessária", diz Mutti. “Como diz [o cineasta grego radicado em Paris] Costa-Gavras, todo filme é político”, completa. 

Juliette Binoche é o nome cogitado para viver a psicanalista, e Vincent Cassel para interpretar o personagem do fascista. Ambos nutrem uma profunda relação com o Brasil. A negociação dos direitos já começou e Daniel Zarvos está otimista com os novos ventos: “O cinema brasileiro vai voltar a ser a bola da vez”. 

Os três têm se reunido com frequência na produtora e, segundo Tiburi, o momento não poderia ser mais urgente: “O fascismo nos coloca em uma sensação de pesadelo coletivo e espero que o filme possa nos ajudar a refletir sobre esse avanço em escala massiva. O filme deverá ter um tom de thriller filosófico, para fazer refletir com profundidade e criar consciência do perigo que se corre hoje com o avanço desse regime baseado na manipulação de massa através do ódio”, conclui Tiburi.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247