Livro relembra obra clássica de Josué de Castro e ressalta que o Brasil nos governos Temer e Bolsonaro voltou ao mapa da fome

A editora Elefante acaba de lançar o livro "Da fome à fome: diálogos com Josué de Castro", em parceria com a Cátedra Josué de Castro

www.brasil247.com -
(Foto: divulgação)


247 - O novo livro, editado pela Elefante, chega para marcar os 75 anos do lançamento de Geografia da Fome, obra-prima de Josué de Castro, cientista fundamental para se pensar a genealogia da fome brasileira e as formas de superá-la.

Os textos apresentados em “Da fome à fome” foram organizados por Tereza Campello, ex-ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e professora titular da Cátedra Josué de Castro, ao lado de Ana Paula Bortoletto, pesquisadora do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da USP.

Este livro é resultado de um esforço para resgatar as ideias de Josué de Castro 75 anos depois da publicação de sua obra-prima, Geografia da fome, justamente num momento em que o país volta a enfrentar as formas mais graves da insegurança alimentar e nutricional. Em 26 artigos e uma linha do tempo, e em permanente diálogo com o intelectual pernambucano, Da fome à fome oferece um panorama multidisciplinar sobre esse flagelo na tentativa de responder a uma pergunta absurda: por que uma potência agropecuária mantém 33 milhões de pessoas sem comida na mesa enquanto exporta toneladas e mais toneladas de grãos e carnes todos os anos? Como se verá nestas páginas, a questão é essencialmente política. Por isso, Da fome à fome é leitura obrigatória para quem está estarrecido com a carestia brasileira do século xxi e deseja compreender o problema para além do discurso fácil e falacioso do agronegócio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por que o Brasil voltou ao Mapa da Fome das Nações Unidas? Como uma potência agropecuária mantém parte significativa de sua população em insegurança alimentar? A pergunta encerra um paradoxo, mas não um mistério. Em 27 ensaios assinados por pesquisadores e ativistas, Da fome à fome: diálogos com Josué de Castro recorre ao legado do intelectual pernambucano para mostrar que, ao contrário do que prega o senso comum, essa terrível e persistente mazela não se combate apenas com produção de alimentos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Organizado pelas pesquisadoras Ana Paula Bortoletto e Tereza Campello, ex-ministra do Desenvolvimento Social, o livro recupera e atualiza as análises de Geografia da fome: o dilema brasileiro: pão ou aço, clássico do pensamento nacional publicado há 75 anos. Com uma profusão de dados e argumentos, e diversos pontos de vista, Da fome à fome demonstra a falácia que é atribuir o retorno da fome ao Brasil à pandemia de covid-19 ou, pior ainda, à recente guerra na Ucrânia. O problema radica no desmonte das políticas públicas intensificado a partir de 2016, com a destituição da presidenta Dilma Rousseff.

“Usar a covid-19 para explicar o flagelo da fome que se espraiou pelo território nacional é tentar, mais uma vez, esconder o caráter estrutural e a sua natureza política e econômica baseada em um modelo excludente”, afirma Tereza Campello na Apresentação do livro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Da fome à fome é resultado de seminário realizado em 2021 pela Cátedra Josué de Castro de Sistemas Alimentares Saudáveis e Sustentáveis, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP). Entre os participantes do evento — e autores do livro — estão José Graziano da Silva, ex-presidente da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), e Carlos Monteiro, um dos maiores especialistas mundiais em nutrição e alimentação, além das pesquisadoras Tania Bacelar e Inês Rugani, dos economistas Ricardo Abramovay e Ladislau Dowbor, e ativistas de movimentos pela alimentação saudável, de lutas antirracistas, por moradia e direitos de comunidades quilombolas — compondo uma miríade de olhares sobre tema tão complexo.

É paradoxal que, hoje, três recordes diferentes sejam recorrentes nas manchetes brasileiras: fome, desmatamento e produção de grãos. O país foi marcado por um aumento assustador da fome — 55,2% das pessoas com algum grau de insegurança alimentar —, enquanto a expectativa é de que a safra de grãos alcance 259 milhões de toneladas em 2022. Tal crescimento da produção de commodities como soja e milho é acompanhado pelo avanço expressivo do desmatamento na Amazônia — o primeiro trimestre de 2022 apresentou os maiores níveis dos últimos seis anos. Essa combinação de fatores produz novas geografias que merecem ser analisadas detidamente: geografia da desigualdade, da pobreza, da produção de alimentos, da crise socioambiental e alimentar, entre tantas outras. […] É fato que o acirramento do quadro de fome e de insegurança alimentar no Brasil está entre as mais graves heranças da pandemia. Mas não esqueçamos que a covid-19 alcançou o Brasil em abril de 2020, e dados da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) 2017-2018, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), já indicavam a volta da fome. Dois anos antes da pandemia, era possível notar que o país, que havia saído do Mapa da Fome das Nações Unidas em 2014, caminhava na contramão nessa agenda.

Sobre as organizadoras 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Tereza Campello é professora titular da Cátedra Josué de Castro de Sistemas Alimentares Saudáveis e Sustentáveis, professora visitante da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), pesquisadora do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (Nupens) da USP e professora do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas em Saúde da Escola Fiocruz de Governo. Foi ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (2011-2016). 

Ana Paula Bortoletto é doutora em nutrição em saúde pública, pesquisadora do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (Nupens) e da Cátedra Josué de Castro, da Faculdade de Saúde Pública da USP. É membro da Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável e da Comunidade de Prática da América Latina e Caribe em Saúde e Nutrição (Colansa). Entre 2013 e 2019, atuou no Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) como pesquisadora e coordenadora do programa de alimentação saudável.

_______________________________________________

Da fome à fome 

R$ 59,90

Da fome à fome: diálogos com Josué de Castro

Organização: Tereza Campello & Ana Paula Bortoletto

Edição: Tadeu Breda

Edição Cátedra Josué de Castro: Arthur Walber Viana, Gabriel Rizzo Hoewell / Zabelê Comunicação, Marina Yamaoka, Monica Rodrigues / Zabelê Comunicação & Otávio D’Andréa

Preparação: Fábio Fujita

Revisão: Laura Massunari, Bruno Barros & Alyne Azuma

Capa: Catarina Bessel

Diagramação: Victor Prado

Direção de arte: Bianca Oliveira

Lançamento: julho de 2022

Páginas: 336

Dimensões: 13,5 x 21 cm

ISBN: 9788593115721

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email