Michael Moore pede mobilização contra Trump

O famoso cineasta e ativista americano Michael Moore publicou uma carta aberta através das redes sociais convidando a sociedade dos EUA e mobilizar-se contra a agenda do presidente eleito Donald Trump; o cineasta disse “nem tudo está perdido” e que “há mais de nós do que deles”, mas destacou que as medidas devem começar a ser tomadas imediatamente e que “não há tempo a perder”

O famoso cineasta e ativista americano Michael Moore publicou uma carta aberta através das redes sociais convidando a sociedade dos EUA e mobilizar-se contra a agenda do presidente eleito Donald Trump; o cineasta disse “nem tudo está perdido” e que “há mais de nós do que deles”, mas destacou que as medidas devem começar a ser tomadas imediatamente e que “não há tempo a perder”
O famoso cineasta e ativista americano Michael Moore publicou uma carta aberta através das redes sociais convidando a sociedade dos EUA e mobilizar-se contra a agenda do presidente eleito Donald Trump; o cineasta disse “nem tudo está perdido” e que “há mais de nós do que deles”, mas destacou que as medidas devem começar a ser tomadas imediatamente e que “não há tempo a perder” (Foto: Leonardo Attuch)

Da Agência Sputinik

O famoso cineasta e ativista americano Michael Moore publicou uma carta aberta através das redes sociais convidando a sociedade dos EUA e mobilizar-se contra a agenda do presidente eleito Donald Trump.

O cineasta disse “nem tudo está perdido” e que “há mais de nós do que deles”, mas destacou que as medidas devem começar a ser tomadas imediatamente e que “não há tempo a perder”.

A carta enumera um total de 5 medidas que “cada um de nós precisa tomar nesta semana”. Como primeiro passo, Moore sugere buscar pessoalmente senadores e membros do Congresso em diferentes estados para conversar com eles e convencê-los a lutar "de forma agressiva" contra a agenda de Trump, ameaçando os de não serem reeleitos em 2018 caso não o fizerem.

O segundo conselho do cineasta consiste em enviar e-mails ao Comitê Nacional Democrata pedindo que o congressista Keith Ellison, o único membro muçulmano do Congresso, seja eleito o novo presidente deste partido, pelo fato dele ter o apoio de Bernie Sanders.

O ativista também insiste que os americanos formem uma “Equipe de Resposta Rápida” junto com seus familiares e amigos “para opor-se a todo momento a medidas de Trump e do Congresso”, além de pressionar seus representantes eleitos através de todos os meios possíveis de comunicação e a organizar e juntar-se a protestos contra prováveis medidas conservadoras do novo governo. Moore recomenda ainda que as pessoas compareçam à posse de Trump no dia 20 de janeiro, a fim de unir-se à ação que planeja interromper esta cerimônia de forma pacífica.

Por fim, o cineasta pede que os cidadãos americanos se candidatem a cargos públicos em suas cidades, dizendo ser “hora de parar de criticar os políticos e converter-se em um” deles. “Não estou dizendo que você precisa se tornar o próximo senador de Michigan, mas por que não concorrer para deputado estadual ou para a diretoria da escola ou ao conselho da cidade?”, acrescentou em sua carta. Moore também destacou a necessidade de participar da chamada “Marcha de um Milhão de Mulheres”, que será realizada em Washginton em 21 de janeiro para protestar contra Trump.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247