Morre o ator mexicano Hector Bonilla, que fez participação em 'Chaves

A informação foi confirmada pela Secretaria de Cultura do Governo do México

www.brasil247.com - Hector Bonilla
Hector Bonilla (Foto: Reprodução)


247 - O ator mexicano Hector Bonilla morreu aos 83 anos na tarde desta sexta-feira (25) de câncer renal. A informação foi confirmada pela Secretaria de Cultura do Governo do México, por meio das redes sociais. As informações foram publicadas nesta sexta (25) pela coluna Splash, no portal Uol. 

"A Secretaria de Cultura lamenta profundamente o falecimento do ator Hector Bonilla, graduado pela Escola de Arte Teatral do Instituto Nacional de Belas Artes e Literatura (INBAL) e considerado um dos melhores atores do México. Ele se desenvolveu no teatro, na televisão e no cinema, onde participou de filmes como 'Rojo Amanecer' (1989)", afirmou no Twitter.

Em 2019, Hector Bonilla foi diagnosticado com um tumor maligno nos rins e lutava pela cura desde então. 

O artista deixa uma viúva, a também atriz Sofía Álvarez, e três filhos, Leonor, Sergio e Fernando Bonilla. 

No Brasil, o ator era conhecido por sua participação no seriado "Chaves", como uma celebridade que atrai o público feminino como Dona Florinda (Florinda Meza) e Chiquinha (María Antonieta de las Nieves).

O artista foi também diretor de dramaturgia na Televisa, nos bastidores de novelas como "Mi Marido Tiene Familia" (2017). O último trabalho dele foi em "Senhor dos Céus" (Netflix).

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247