Mostra de curtas oferece panorama do cinema latino

Mostra Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo terá sessões gratuitas em agosto

Mostra de curtas oferece panorama do cinema latino
Mostra de curtas oferece panorama do cinema latino (Foto: Divulgação)

Opera Mundi - O curta-metragem, sobretudo onde a indústria do cinema ainda engatinha, é considerado um espaço de experimentação para novos diretores, além de ser um "abre-portas" na obra de futuros grandes cineastas. Assim acontece na América Latina: realizadores hoje destacados, como os argentinos Lucrecia Martel e Pablo Trapero, começaram suas carreiras com curtas bem sacados, baratos e premiados.

Descobrir como a região pensa o cinema e identificar talentos do México à Argentina é a missão da Mostra Latina da Mostra Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo – um dos principais festivais de curtas do mundo. O evento, tradicional no calendário cultural de São Paulo e que exibe títulos do mundo inteiro, acontece este ano de 23 a 31 de agosto em diversas salas de cinema e centros culturais da cidade. Seu braço latino – que atrai, além do público, representantes de outros festivais nacionais e internacionais em busca de bons filmes – é o destaque da sua ampla programação, ao traçar um bom panorama do nosso cinema jovem.

Nesta 23.ª edição, 27 curtas latinos foram distribuídos em cinco programas. A seleção retrata a produção mais recente da região, quase sempre na mão de realizadores com menos de 40 anos. Os filmes vêm de diferentes países: a Argentina, como de costume, tem presença expressiva, graças à sua ampla produção; México e Cuba, com importantes escolas de cinema, também são bem representados; e, como novidade este ano, aparecem com mais espaço países cuja presença costuma ser mais tímida, com destaque para o Peru.

Na programação convivem títulos premiados e lançados anteriormente (como "Loxoro", da peruana Claudia Llosa ("Madeinusa" e "A teta assustada"), exibido no Festival de Berlim, e "Yeguas y cotorras", da argentina Natalia Garagiola, exibido na Semana da Crítica de Cannes) com histórias inusitadas (como o peruano "Going Kinski", de Smokey Nelson, ficção curiosa sobre rastros que a filmagem de "Fitzcarraldo" teria deixado na Amazônia peruana) e ainda filmes inéditos e de rara qualidade estética (como o venezuelano "La noche anuncia la aurora", de Gerard Uzcategui).

No mais, "há documentários tradicionais, mas também muitos filmes híbridos que bebem da linguagem documental e misturam gêneros de forma criativa, como o argentino 'Noelia' e o chileno 'AfAntü'. Também destacaria os oito filmes dirigidos por mulheres", acrescenta Márcio Miranda, responsável pela Mostra Latina.

Para quem busca títulos que dificilmente serão vistos de novo por aqui, "este ano há também dois filmes da América Central, além dos tradicionais cubanos: 'Cuando sea grande', da Guatemala, e 'Pothound', de Trinidad & Tobago", ressalta Márcio.

Especiais

Além da tradicional seção latino-americana, a Mostra incluiu nesta edição um programa especial de 20 anos da Universidad del Cine. Serão apresentados 12 filmes produzidos pela instituição, que é uma das principais escolas de cinema da Argentina, entre eles: "Negocios", realizado em 1996 por um célebre ex-aluno, Pablo Trapero. A iniciativa conta com presença de Jorge La Ferla, professor da universidade, em uma palestra no Cinusp.

Como em anos anteriores, o festival terá versões itinerantes nas cidades de Curitiba, São Carlos, Ribeirão Preto e Sorocaba. Vale lembrar que as sessões e eventos da Mostra, tanto em São Paulo como em outras cidades, são gratuitos.

Para conferir a programação, visite o site www.kinoforum.org.br.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247