Padilha recua na acusação contra Lula e ataca defesa do ex-presidente

Em resposta ao advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Lula, o cineasta José Padilha, que fechou com a Netflix para dirigir uma série sobre a Operação Lava Jato, afirma que seu artigo falava apenas sobre um mecanismo para que a Lava Jato não fosse prejudicada por um "acordão" em um eventual governo Temer, e que "talvez a melhor maneira de garantir" isso seja a prisão de Lula, "caso existam evidências irrefutáveis" contra ele; ao rebater críticas de Zanin Martins, cineasta diz que advogado "não sabe ler"

Em resposta ao advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Lula, o cineasta José Padilha, que fechou com a Netflix para dirigir uma série sobre a Operação Lava Jato, afirma que seu artigo falava apenas sobre um mecanismo para que a Lava Jato não fosse prejudicada por um "acordão" em um eventual governo Temer, e que "talvez a melhor maneira de garantir" isso seja a prisão de Lula, "caso existam evidências irrefutáveis" contra ele; ao rebater críticas de Zanin Martins, cineasta diz que advogado "não sabe ler"
Em resposta ao advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Lula, o cineasta José Padilha, que fechou com a Netflix para dirigir uma série sobre a Operação Lava Jato, afirma que seu artigo falava apenas sobre um mecanismo para que a Lava Jato não fosse prejudicada por um "acordão" em um eventual governo Temer, e que "talvez a melhor maneira de garantir" isso seja a prisão de Lula, "caso existam evidências irrefutáveis" contra ele; ao rebater críticas de Zanin Martins, cineasta diz que advogado "não sabe ler" (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O cineasta José Padilha, que fechou com a Netflix para dirigir uma série sobre a Operação Lava Jato, recuou em seus ataques contra o ex-presidente Lula em um artigo do Globo - no qual disse que havia "evidências" para prender o ex-presidente -, após críticas feitas pelo advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o petista.

O cineasta passou então a fazer ataques pessoais ao defensor de Lula: "Com esse advogado que não sabe ler, há o risco de o Lula ser condenado mesmo sem evidências". Ele disse que seu artigo falava apenas sobre um mecanismo para que a Lava Jato não seja prejudicada por meio de um "acordão".

"Estou dizendo no meu artigo que, com o governo novo e capitaneado pelo Michel Temer (PMDB), temo que exista alguma tentativa de parar a Lava-Jato. E talvez a melhor maneira de garantir que não exista um acordão seja, caso existam evidências irrefutáveis, prenderem o Lula", diz.

"Isso vai colocar a esquerda a favor da Lava-Jato. É um mecanismo para não melar a Lava-Jato", acrescentou. "Quando eu terminar a minha série, vamos ver onde estará Lula. Aí, saberemos quem tem razão. Vou contar a história que acontecer. Se o Lula for absolvido, a série vai contar essa história. Se ele for condenado, vai mostrar também", afirmou ainda José Padilha.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247