Pelas Barbas de Tutancâmon!

Mais de 100 obras de arte sumiram dos museus egpcios aps os conflitos no Pas

247, agências internacionais - Preciosas antiguidades arqueológicas, telas, joias e esculturas egípcias foram roubadas de museus do Cairo durante os conflitos populares que derrubaram o ditador Hosni Mubarak no mês passado. Estima-se que mais de cem peças despareceram e uma equipe da Unesco enviou ao país nesta quinta-feira 17 uma delegação de especialistas para auxiliar na apuração do prejuízo ao patrimônio do Egito. O fato foi revelado pelo ex-ministro do patrimônio artístico egípcio, Zahi Hawass. Convidado a uma convenção em Paris promovida pela Unesco para discutir o comércio ilegal de obras de arte entre os países, ele afirmou que não poderia ir pois estava envolvido na realização do inventário de alguns museus da cidade.

Então comunicou à entidade que as perdas registradas em sítios arqueológicos e museus do país desde o início da revolução foram, na realidade, muito maiores do que se estimou inicialmente. Imagens valiosas, como reproduções da Esfinge e esculturas de bronze e mármore de Tutancâmon estão entre as perdas. Ele pediu colaboração da comunidade internacional no caso. A estátua do faraó do Antigo Egito é o sumiço mais preocupante: tratava-se da mais valiosa obra do Museu Egípcio do Cairo, que fica próximo a praça Tahir, foco das manifestações no país. Trata-se de uma peça de madeira coberta de ouro e representa o rei da XVIII dinastia de Tutancâmon, faraó que reinou entre os anos 1333 e 1324 a.C.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247