Silvio Tendler: vivemos um momento de ‘desmemória’

Um dos maiores documentaristas brasileiros, Silvio Tendler tem ajudado o Brasil a resgatar seu passado e a refletir sobre presente e futuro através de seus filmes; "Vivemos um momento tenebroso de tentativa de apagar a memória. Vivemos um momento de 'desmemória'", disse em entrevista à TV 247; assista

Silvio Tendler: vivemos um momento de ‘desmemória’
Silvio Tendler: vivemos um momento de ‘desmemória’

247 - Silvio Tendler é dos maiores documentaristas brasileiros. Ele tem ajudado o Brasil a resgatar seu passado e a refletir sobre presente e futuro através de seus documentários. Capitalismo predatório, agrotóxico venenoso, tempos de pós-verdade, são alguns dos temas. No campo da memória, ele nos trouxe desde as histórias de João Cândido e a Revolta da Chibata até os Anos JK, passando pelo golpe militar e a derrubada de João Goulart no filme Jango. Em entrevista à Estação Sabiá, na TV 247, Tendler afirmou que "a memória é uma bússola. Ela aponta para o futuro. É como resgatar o passado, sinalizando para o futuro".

Silvio disse ainda que no filme sobre Juscelino quis mostrar aos militares que a democracia é fundamental e que o período JK foi o período mais democrático do Brasil até aquele momento. E foi além. Diz que fez Jango para falar de justiça social. "Vivemos um momento tenebroso de tentativa de apagar a memória. Vivemos um momento de 'desmemória'."
Mas ele não perde a esperança ao falar dos tempos sombrios em que vivemos. Citou a fala de Guilherme Melo em seu filme Dedo na Ferida, sobre o sistema financeiro que nos domina: ele concorda com Guilherme que diz que o jogo não está jogado. "Ainda dá para mudar esse jogo. A gente não pode se sentir derrotado. Vamos continuar lutando."

Inscreva-se na TV 247 e assista a íntegra da entrevista de Silvio Tendler com Regina Zappa:

Ao vivo na TV 247 Youtube 247