Teologia da Libertação será tema da Mangueira em 2020

A Estação Primeira de Mangueira, uma das mais tradicionais escolas de samba do Rio de Janeiro, leverá o tema da Teologia da Libertação para a Sapucaí em 2020. O samba-enredo foi escolhido na noite deste sábado (12) e promete abalar o governo Bolsonaro (se ainda existir) e o fundamentalismo cristão

www.brasil247.com -


247 - A Estação Primeira de Mangueira, uma das mais tradicionais escolas de samba do Rio de Janeiro, leverá o tema da Teologia da Libertação para a Sapucaí em 2020. O samba-enredo foi escolhido na noite deste sábado (12) e promete abalar o governo Bolsonaro (se ainda existir) e o fundamentalismo cristão. 

O jornalista Mauro Lopes publicou em seu Facebook: "podem se preparar. Depois da história do povo brasileiro, o Cristo-verdade, revolucionário, tomará conta da avenida no Carnaval de 2020 com a Mangueira.

O samba enredo foi escolhido na noite deste sábado. Vai abalar o Brasil, o governo Bolsonaro (se existir ainda) e o fundamentalismo cristão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A íntegra da letra, dos compositores Manu da Cuíca e Luiz Carlos Máximo. Veremos, de maneira quase inacreditável, a Teologia da Libertação desfilar na Sapucaí."

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Aqui, o samba-enredo: 

Confira a letra do samba-enredo da Mangueira: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mangueira

Samba que o samba é uma reza

Se alguém por acaso despreza

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Teme a força que ele tem

Mangueira

Vão te inventar mil pecados

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas eu estou do seu lado

E do lado do samba também

Eu sou da Estação Primeira de Nazaré

Rosto negro, sangue índio, corpo de mulher

Moleque pelintra do Buraco Quente

Meu nome é Jesus da Gente

Nasci de peito aberto, de punho cerrado

Meu pai carpinteiro desempregado

Minha mãe é Maria das Dores Brasil

Enxugo o suor de quem desce e sobe ladeira

Me encontro no amor que não encontra fronteira

Procura por mim nas fileiras contra a opressão

E no olhar da porta-bandeira pro seu pavilhão

Eu tô que tô dependurado

Em cordéis e corcovados

Mas será que todo povo entendeu o meu recado?

Porque de novo cravejaram o meu corpo

Os profetas da intolerância

Sem saber que a esperança

Brilha mais que a escuridão

Favela, pega a visão

Não tem futuro sem partilha

Nem Messias de arma na mão

Favela, pega a visão

Eu faço fé na minha gente

Que é semente do seu chão

Do céu deu pra ouvir

O desabafo sincopado da cidade

Quarei tambor, da cruz fiz esplendor

E num domingo verde-e-rosa

Ressurgi pro cordão da liberdade

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email