Tom Zé entra com representação judicial contra Carla Zambelli

O cantor e compositor Tom Zé e o seu parceiro, José Miguel Wisnik, entraram com representação judicial contra a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), que usou uma canção dos dois para exaltar Jair Bolsonaro

Tom Zé e Carla Zambelli
Tom Zé e Carla Zambelli (Foto: Reprodução | Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O cantor e compositor Tom Zé e o seu parceiro, José Miguel Wisnik, entraram essa semana com representação judicial contra a deputada federal bolsonarista Carla Zambelli (PSL-SP), que usou a canção "Xiquexique", composta pelos dois em um vídeo para exaltar Jair Bolsonaro. A parlamentar apagou o vídeo. "Neusa (mulher de Tom Zé) até chorou. Mas como se diz no Nordeste, o povo da roça fala até pro cão: 'Deus abençoe'", contou Tom Zé à coluna de Sonia Racy.

Quem instruiu Tom Zé a entrar com a representação foi a produtora Paula Lavigne, esposa do cantor e compositor Caetano Veloso. "Paula é minha madrinha, tanto é que fica sempre soprando para Caetano falar bem de mim, dizendo: 'Diga que ele é um gênio' (risos)", acrescentou. 

De acordo com Miguel Wisnik, uso da composição por Carla Zambelli "trata-se de uma operação de alavancagem de Bolsonaro no Nordeste, que quer tomar carona na nossa composição".

Em vídeo publicado na internet no final de semana passado, o compositor José Miguel Wisnik repudiou o uso de trecho da música Xiquexique pela deputada bolsonarista sem autorização.

“Estou falando aqui em meu nome, em nome do meu parceiro, Tom Zé, em nome do grupo corpo, para repudiar e denunciar o vídeo postado pela deputada Carla Zambelli, que utiliza nossa composição "Xiquexique", feita para o espetáculo do grupo Corpo, chamado Parabelo", disse ele. 

"O vídeo procura construir a imagem de suposta ampla aceitação de Jair Bolsonaro no Nordeste, região onde sabemos ele foi derrotado em todos os estados nas últimas eleições presidenciais", afirmou. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247