Um grito por Ai Weiwei

Um dos mais importantes artistas contemporneos da China, preso h mais de um ms sem nenhuma justificativa formal do governo, homenageado com exposio de seus trabalhos em Londres

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com agências internacionais - O dissidente chinês Ai Weiwei foi preso há um mês e meio pelo governo da China sob a acusação de crime financeiro que até hoje não foi formalizada. Ele foi detido no aeroporto de Pequim quando aguardava para viajar a Hong Kong, país que sediará uma exposição de Weiwei. Ele esteve recluso e sem direito a receber visitas até o último domingo 15, quando oficiais autorizaram a visita de sua mulher. Ai Weiwei é considerado hoje um dos mais importantes artistas contemporâneos. Ele é também um dos mais influentes e autor de duras críticas ao regime chinês, do qual já foi partidário.

Em homenagem a ele e como uma forma de protesto, uma mostra com uma seleção de suas escuturas e telas foi aberta na Lisson Gallery, em Londres, até 16 de julho. E um outro local, o Somerset House, reúne a exposição Cabeças do Zodíaco, que recria os animais do horóscopo chinês em uma referência às esculturas que ficavam em frente ao Palácio Impeiral de Pequeim no século XVIII e foram saqueadas por soldados britânicos e franceses em 1860. Das doze roubadas, setes foram recuperadas. Weiwei criou falsificações de uma das obras icônicas do país.

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email