Abandonado pelo "mercado", Guedes diz que está sendo apedrejado pelas costas

Alvo de críticas crescentes até na mídia corporativa, o ministro Paulo Guedes já sente o cheiro da sua própria fritura

Paulo Guedes
Paulo Guedes (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Criticado até pelo mercado financeiro que apoiou sua chegada ao Ministério da Economia, Paulo Guedes afirmou se sentir “apedrejado pelas costas” em função das análises sobre o fraco desempenho da equipe econômica. “A tragédia está aí, nos machucou, atingiu nossas famílias, é péssimo. Agora, o que adianta ficar jogando pedra? É como se tivesse tentando ajudar e sendo apedrejado pelas costas o tempo inteiro. Isso é uma ação destrutiva. E quanto a crítica é injusta, ela não merece respeito”, disse ele nesta quinta-feira (26).

Guedes disse, ainda, que a economia voltou a crescer, apesar do avanço da pandemia da Covid-19. "Aí o ministro está fazendo um trabalho, a economia voltou em V (quando a retomada é na mesma velocidade da queda), a arrecadação está subindo, a economia está retomando o crescimento, já estava começando a crescer, foi atingida pela doença. Aí todo mundo estava achando que ia ser a pior coisa do mundo, a economia começa a voltar. A tragédia está aí, nos machucou, atingiu nossas famílias, é péssimo. Agora, o que adianta ficar jogando pedra? “, afirmou.  

O ministro também pediu o apoio da  imprensa para “ajudar a construir uma sociedade melhor”. “Não se constrói com fofoca, com descredenciamento. O presidente teve 60 milhões de votos, todo dia tem um ataque pessoal", completou. Ainda segundo ele, a mídia tem sempre uma "versão sempre negativa" sobre os fatos e que agora é o momento de "conversar um pouco menos e trabalhar um pouco mais".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247