Ações do Carrefour recuam mais de 4% após assassinato de João Alberto Silveira Freitas em loja do RS

Ações do Carrefour Brasil recuaram 4,17% nesta segunda-feira (23) diante da repercussão do assassinato por espancamento de João Alberto Silveira Freitas em uma loja do grupo em Porto Alegre

Carrefour
Carrefour (Foto: REUTERS/Diego Vara)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paula Arend Laier, Reuters - As ações do Carrefour Brasil recuavam mais de 4% nesta segunda-feira, na contramão do Ibovespa, na esteira da repercussão do assassinato por espancamento de um homem negro em uma loja do grupo em Porto Alegre na noite de quinta-feira.

Novos protestos contra racismo e ataques a lojas da rede ocorreram desde a sexta-feira após João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, ser espancado até a morte na véspera do Dia da Consciência Negra por um segurança e por um policial militar temporário que estava fora de serviço.

Na sexta-feira, as ações ainda fecharam em alta, de 0,5%, mas nesta segunda-feira, por volta de 10:35, os papéis caíam 4,17%, a 19,54 reais.

“O evento pode gerar pressão sobre o estoque no curto prazo devido a riscos à sua imagem, embora não deva afetar a operação no longo prazo”, afirmou a equipe da Genial Institucional em comentários a clientes nesta segunda-feira.

A queda nesta sessão vem após seis pregões de alta consecutivos, período em que as ações acumularam elevação de mais de 7%. No mês, até a última sexta-feira, os papéis contabilizavam valorização de 10,5%.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247