Agência de risco rebaixa fundo europeu de resgate

Deciso da Standard Poor's, aps rever nota de 9 pases europeus, pode reduzir capacidade do mecanismo de ajuda a governos endividados

Agência de risco rebaixa fundo europeu de resgate
Agência de risco rebaixa fundo europeu de resgate (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 com agências internacionais - Depois de rebaixar a nota de nove países na semana passada, foi a vez de a agência Standard & Poor's rever a nota do fundo europeu de resgate. A queda de "AAA" (nota máxima) para "AA+", por mais que fosse esperada, deve tornar mais cara a captação de dinheiro no mercado por parte do fundo, reduzindo a sua capacidade de ajuda aos países endividados.

No primeiro dia de pregão apóso rebaixamento dos países europeus, os mercados parecem ter seguido o "conselho" do presidente francês, Nicolas Sarkozy, de que a perda da nota máxima por parte da segunda maior economia europeia "não muda nada".

A Bolsa de Paris subiu 0,89%, enquanto a alemã teve alta de 1,25%. Em Londres, houve valorização de 0,37%.No Brasil, a Bovespa registrou alta de 1,37%. Os mercados americanos não funcionaram devido a feriado.

No entanto, o euro continuou a sua trajetória de queda. A moeda dos 17 países da zona do euro atingiu o seu menor valor histórico ante o iene e a menor cotação em relação ao dólar em 17 meses.

O bom humor dos investidores, apesar da crise, se deve em parte a decisão da Fitch e da Moody's de manter o "AAA" da França, mesmo que com possibilidade de mudança ainda neste trimestre.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email