Alvo da Lava Jato, Odebrecht recebe proposta de R$ 41,5 bi para vender a Braskem

A holandesa LyondellBasell, terceira maior produtora de resinas plásticas do mundo, apresentou proposta de R$ 41,5 bilhões para adquirir a Braskem, controlada pela Odebrecht e Petrobras.; proposta, que resultaria na maior empresa de resinas plásticas em nível mundial, tem como pano de fundo a Operação Lava Jato, que praticamente levou as empresas brasileiras a se desfazerem de ativos estratégicos para gerar caixa e honrarem compromissos

A holandesa LyondellBasell, terceira maior produtora de resinas plásticas do mundo, apresentou proposta de R$ 41,5 bilhões para adquirir a Braskem, controlada pela Odebrecht e Petrobras.; proposta, que resultaria na maior empresa de resinas plásticas em nível mundial, tem como pano de fundo a Operação Lava Jato, que praticamente levou as empresas brasileiras a se desfazerem de ativos estratégicos para gerar caixa e honrarem compromissos
A holandesa LyondellBasell, terceira maior produtora de resinas plásticas do mundo, apresentou proposta de R$ 41,5 bilhões para adquirir a Braskem, controlada pela Odebrecht e Petrobras.; proposta, que resultaria na maior empresa de resinas plásticas em nível mundial, tem como pano de fundo a Operação Lava Jato, que praticamente levou as empresas brasileiras a se desfazerem de ativos estratégicos para gerar caixa e honrarem compromissos (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A holandesa LyondellBasell, terceira maior produtora de resinas plásticas do mundo, apresentou proposta de R$ 41,5 bilhões, em dinheiro e ações da companhia, para adquirir a Braskem, controlada pela Odebrecht e Petrobras. A proposta de compra do controle da Braskem, que resultaria na maior empresa de resinas plásticas em nível mundial, tem como pano de fundo a Operação Lava Jato, que praticamente levou as duas empresas brasileiras a se desfazerem de ativos estratégicos para gerar caixa e honrarem compromissos.

Segundo o jornal Valor Econômico, as tratativas entre a Odebrecht e LyondellBasell foram intensificadas durante o Carnaval e acabaram sendo paralisadas no início deste mês devido a possibilidade da companhia brasileira conseguir um financiamento da ordem de 2,6 bilhões, além do alongamento da dívida de R$ 7 bilhões, junto a bancos públicos e privados

A Odebrecht porém, nega que tenha recebido alguma proposta para a venda da Braskem e diz que mantém sua intenção de continuar atuando no setor petroquímico.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247