Apesar da ameaça de retaliação dos EUA, França afirma que aplicará imposto digital para 2020

"As empresas sujeitas a este imposto receberam uma notificação fiscal para os pagamentos de 2020", disse o ministério das Finanças da França referindo-se ao Google, Amazon, Facebook e Apple. Governo dos EUA diz que cobrança é injusta e ameaça retaliar as exportações do país europeu

Trump e Macron
Trump e Macron (Foto: REUTERS / Kevin Lamarque)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - A França aplicará um imposto sobre as grandes empresas do setor digital em 2020, afirmou o ministério das Finanças do país na quarta-feira (25), apesar da advertência dos EUA de que pode retaliar com novas tarifas sobre as importações francesas, que atingiriam o valor de US$ 1,3 bilhão (R$ 6,9 bilhões na cotação atual), relata a agência AFP.

"As empresas sujeitas a este imposto receberam uma notificação fiscal para os pagamentos de 2020", disse um funcionário do ministério, referindo-se em particular às empresas norte-americanas Google, Amazon, Facebook e Apple, que o governo dos EUA afirma estarem sendo injustamente visadas pela taxa.

O imbróglio

De acordo com a legislação da União Europeia, as empresas norte-americanas podem declarar seus lucros de todo o bloco em um único estado-membro, na maioria dos casos, locais com baixa tributação, como a Irlanda ou a Holanda.

Sob pressão para adotar uma postura mais dura, a França promulgou seu imposto digital em 2019, que prevê um imposto de 3% sobre os lucros do fornecimento de vendas on-line para varejistas terceirizados, bem como sobre a publicidade digital e a venda de dados privados.

O presidente norte-americano, Donald Trump, alertou que poderia avançar com taxas punitivas em produtos franceses, incluindo os renomados cosméticos e bolsas do país.

Paris e Washington chegaram a um acordo para suspender o imposto, enquanto buscava um acordo tributário digital global sob os auspícios da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Mas em outubro, a OCDE reconheceu que não chegaria a um acordo sobre um novo padrão global para tributar empresas digitais neste ano, em grande parte por causa da oposição dos EUA às propostas.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247