Armínio defende programa de renda mínima para 100 milhões de brasileiros

"As pessoas precisam saber que terão dinheiro para comprar comida", diz o economista Armínio Fraga

Armínio Fraga no Roda Viva
Armínio Fraga no Roda Viva (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A urgência de um programa de renda mínima universal foi defendida pelo economista Armínio Fraga, que sempre defende políticas liberais. O ex-dirigente do BC sugere que, além de incluir mais 1,3 milhão de famílias no Bolsa Família, o governo crie rapidamente um programa de renda mínima que beneficie, no total, até 100 milhões de brasileiros, pouco menos da metade da população do país, segundo aponta reportagem do Valor. “As pessoas precisam saber que, durante esta crise, terão dinheiro para comprar comida”, justificou.

"Arminio estima que as novas despesas possam custar ao Tesouro algo como 4% do Produto Interno Bruto (PIB), o equivalente a R$ 300 bilhões. O dinheiro pode vir da emissão de títulos públicos, isto é, do aumento da dívida pública. O uso de recursos das reservas cambiais é descartado porque, observou o economista, embora o volume atual seja considerado exagerado, por exemplo, pelo FMI, essa é uma conta sujeita a várias ponderações. Ademais, assinalou, internalizar dinheiro de reservas vendidas lá fora é uma operação que, no fim, envolve emissão de dívida", aponta ainda a reportagem.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247