Atividade industrial tem maior alta do ano: 2,6%

Após quatro meses consecutivos de queda, a atividade industrial voltou a crescer em julho; as horas trabalhadas na produção aumentaram 2,6% e o faturamento da indústria cresceu 1,2% frente a junho; utilização da capacidade instalada subiu para 81%, 0,6 ponto percentual acima do registrado em junho; números são da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada pela CNI, presidida por Robson Andrade

Após quatro meses consecutivos de queda, a atividade industrial voltou a crescer em julho; as horas trabalhadas na produção aumentaram 2,6% e o faturamento da indústria cresceu 1,2% frente a junho; utilização da capacidade instalada subiu para 81%, 0,6 ponto percentual acima do registrado em junho; números são da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada pela CNI, presidida por Robson Andrade
Após quatro meses consecutivos de queda, a atividade industrial voltou a crescer em julho; as horas trabalhadas na produção aumentaram 2,6% e o faturamento da indústria cresceu 1,2% frente a junho; utilização da capacidade instalada subiu para 81%, 0,6 ponto percentual acima do registrado em junho; números são da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada pela CNI, presidida por Robson Andrade (Foto: Gisele Federicce)

Portal da Indústria - Após quatro meses consecutivos de queda, a atividade industrial voltou a crescer em julho. As horas trabalhadas na produção aumentaram 2,6% e o faturamento da indústria cresceu 1,2% em julho frente a junho, na série livre de influências sazonais. As informações são da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), nesta quinta-feira (4).

O crescimento na atividade do setor elevou a utilização da capacidade instalada para 81% em julho, 0,6 ponto percentual acima do registrado em junho. No entanto, destaca a pesquisa, parte do crescimento desses indicadores deve-se ao menor número de dias úteis afetados pela Copa do Mundo em julho na comparação com junho.

"Mesmo com o crescimento das horas trabalhadas, do faturamento e do uso da capacidade instalada, a indústria continua desaquecida", assinala a pesquisa. A tendência é confirmada nos indicadores de emprego e de massa salarial, que registraram a quinta queda consecutiva. Tanto o emprego quanto a massa salarial recuaram 0,2% em julho ante junho, segundo dados dessazonalizados.

QUEDA FRENTE A JULHO DE 2013 – Com exceção do rendimento médio real, todos os indicadores registraram queda em julho deste ano frente ao mesmo mês do ano passado. Nessa comparação, as horas trabalhadas caíram 2,3%, o emprego retraiu 0,6% e a massa salarial recuou 0,2%. Já a utilização da capacidade instalada ficou 1,4 ponto percentual menor que em julho de 2013.

Embora o rendimento seja 0,4% maior em julho deste ano frente ao mesmo mês do ano passado, houve forte desaceleração nos últimos quatro meses nessa mesma base de comparação, destacou a pesquisa Indicadores Industriais.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247