Aumenta a pressão no governo para rever as normas de teto de gastos

Membros do governo Jair Bolsonaro querem executar despesas por meio de créditos extraordinários, que ficam de fora do alcance da PEC do Teto dos Gastos

Governo Jair Bolsonaro, que tem Paulo Guedes na pasta da Economia, quer rever a regra que limita avanço das despesas à inflação
Governo Jair Bolsonaro, que tem Paulo Guedes na pasta da Economia, quer rever a regra que limita avanço das despesas à inflação (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Defensores do plano do governo para estimular o crescimento econômico querem executar despesas por meio de créditos extraordinários, que ficam de fora do alcance da PEC do Teto dos Gastos (Proposta de Emenda à Constituição), que limita o avanço das despesas à inflação - segundo a proposta, o investimento de um ano é equivalente ao do ano anterior corrigido pela inflação.

De acordo com reportagem do jornal O Estado de S.Paulo, "a avaliação dentro do governo é que, diante da menor oferta de recursos no mercado internacional e da redução no apetite para risco em investimentos de médio e longo prazos, seria preciso fazer uma intervenção 'cirúrgica' do Estado, com período definido (10 anos) e 'tratamento fiscal diferenciado'". 

"Não estaria descartada uma mudança constitucional para garantir essa válvula de escape para evitar que os investimentos para a retomada fiquem 'sufocados' no teto de gastos".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247