BNDES emperra empréstimo para Sete Brasil

Banco estatal quer repassar o risco da operação de socorro à companhia controlado pelo BTG Pactual, de André Esteves, para as instituições financeiras que já são credores; em vez de emprestar US$ 9 bilhões à Sete Brasil, BNDES agora pretende transferir esses recursos aos bancos em questão; empresa foi criada para construir sondas de perfuração para a Petrobras e já acumula dívidas de R$ 900 milhões

Banco estatal quer repassar o risco da operação de socorro à companhia controlado pelo BTG Pactual, de André Esteves, para as instituições financeiras que já são credores; em vez de emprestar US$ 9 bilhões à Sete Brasil, BNDES agora pretende transferir esses recursos aos bancos em questão; empresa foi criada para construir sondas de perfuração para a Petrobras e já acumula dívidas de R$ 900 milhões
Banco estatal quer repassar o risco da operação de socorro à companhia controlado pelo BTG Pactual, de André Esteves, para as instituições financeiras que já são credores; em vez de emprestar US$ 9 bilhões à Sete Brasil, BNDES agora pretende transferir esses recursos aos bancos em questão; empresa foi criada para construir sondas de perfuração para a Petrobras e já acumula dívidas de R$ 900 milhões (Foto: Roberta Namour)

247 – O BNDES criou novo impasse para o empréstimo pedido pela Sete Brasil. A empresa criada para construir sondas de perfuração para a Petrobras foi citada na operação Lava Jato e já acumula dívidas de R$ 900 milhões.

O banco estatal não quer mais financiar diretamente a empresa controlada pelo BTG Pactual e pretende repassar o risco da operação para as instituições financeiras que já são seus credores.

Em vez de emprestar US$ 9 bilhões, o banco quer transferir esses recursos aos aos cinco bancos que já deram US$ 3,6 bilhões (R$ 12 bilhões) à companhia: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Santander, Bradesco e Itaú.

Leia aqui reportagem da ‘Folha de S. Paulo’ sobre o assunto.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247