BNDES registra lucro de R$ 6,2 bilhões em 2015

Principal fator positivo foi o aumento do resultado de intermediação financeira, que alcançou R$ 18,691 bilhões, valor 39,6% superior ao registrado em 2014; outro indicador positivo foi a manutenção da inadimplência em nível muito baixo, de 0,06%, bem inferior à média do Sistema Financeiro Nacional, de 3,4%, refletindo a alta qualidade da carteira de crédito do Banco

Data: 11/08/2011 Editoria: Novo Portal Valor Reporter: Mariane Goldberg Local: Rio de Janeiro, RJ Pauta: Fotos para o Novo Portal Valor - Novo Site Setor: Finaceiro Personagem: Predio do BNDES na Avenida Chile, 100 Tags: Banco Nacional de Desenv
Data: 11/08/2011 Editoria: Novo Portal Valor Reporter: Mariane Goldberg Local: Rio de Janeiro, RJ Pauta: Fotos para o Novo Portal Valor - Novo Site Setor: Finaceiro Personagem: Predio do BNDES na Avenida Chile, 100 Tags: Banco Nacional de Desenv (Foto: Gisele Federicce)

BNDES - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) registrou lucro líquido de R$ 6,199 bilhões em 2015. O principal fator positivo foi o aumento do resultado de intermediação financeira, que alcançou R$ 18,691 bilhões, valor 39,6% superior ao registrado em 2014. Outro indicador positivo foi a manutenção da inadimplência em nível muito baixo, de 0,06%, bem inferior à média do Sistema Financeiro Nacional, de 3,4%, refletindo a alta qualidade da carteira de crédito do Banco.

O aumento do resultado de intermediação financeira reflete o crescimento na carteira de crédito, a revisão dos spreads nos últimos anos, bem como a gestão de tesouraria, compatível com o volume de operações do Banco.

Por outro lado, o resultado do Sistema BNDES com participações societárias foi determinante na redução de 29,7% do lucro líquido em relação aos R$ 8,594 bilhões apurados em 2014, em função da forte depreciação do mercado de capitais. O resultado com participações societárias foi negativo em R$ 5,4 bilhões, ante um valor positivo de R$ 2,865 bilhões em 2014, retração de R$ 8,272 bilhões no comparativo dos exercícios.

O principal responsável pela queda mencionada foi o investimento na Petrobras. Além do não pagamento de dividendos e juros sobre capital próprio em 2015, ante uma contribuição de R$ 1,842 bilhão em 2014, a queda da cotação das ações da empresa levou o BNDES a registrar perdas por impairment no montante de R$ 7,35 bilhões (R$ 4,49 bilhões líquido de efeitos tributários) em 2015.

Desconsiderado o efeito do impairment da Petrobras, o lucro do BNDES seria de R$ 10,684 bilhões em 2015, o mais elevado de sua história. A rentabilidade sobre o patrimônio passaria, no mesmo exercício, de 15,37% para 23,6%, contra 21,2% em 2014.

Vale ressaltar que as perdas por impairment são exclusivamente contábeis – já que não houve venda de ativos – e representam a mera transferência do efeito negativo registrado em conta específica do patrimônio líquido para o resultado do exercício. Tal resultado, portanto, não gerou impacto no fluxo de caixa do BNDES, nem em sua posição patrimonial, dado que as perdas já estavam reconhecidas em seu ativo e patrimônio líquido. Com uma futura valorização das ações da Petrobras, os ganhos contábeis serão incorporados ao patrimônio líquido do BNDES.

Para o BNDES é de grande importância garantir a qualidade de sua carteira de crédito, tendo em vista que, além de ser um banco público, o retorno de suas operações representa o principal funding para concessão de financiamentos a novos projetos de investimentos. Em 2015, o retorno das operações do Banco representou 92% dos recursos desembolsados no ano.

Posição financeira – O patrimônio líquido do Sistema BNDES totalizou R$ 31,0 bilhões em dezembro de 2015, estável em relação aos R$ 30,7 bilhões de dezembro de 2014. O patrimônio de referência (base regulatória que determina a capacidade de financiamento) atingiu R$ 95,0 bilhões em dezembro de 2015, redução de 2,9% em relação aos R$ 97,9 bilhões de 2014. O índice de Basileia atingiu 14,7% em 31 de dezembro de 2015, situação confortável diante dos 11,0% exigidos pelo Banco Central.

BNDESPAR – A BNDESPAR apurou um prejuízo de R$ 7,6 bilhões em 2015, em contrapartida a um lucro de R$ 2,905 bilhões em 2014. O desempenho foi efeito direto do resultado do impairment no valor das ações da Petrobras, de R$ 8,333 bilhões. Sem o efeito do impairment, a BNDESPAR teria registrado lucro de R$ 692 milhões. Além do efeito do impairment, também contribuíram para o resultado: (i) a queda de R$ 2,063 bilhões na receita com dividendos e juros sobre capital próprio, e (ii) o resultado positivo de R$ 1,437 bilhão com receita de alienações.
Importa ressaltar que o impairment das ações da Petrobras não gerou impacto em seu fluxo de caixa, uma vez que as ações não foram alienadas, nem em sua posição patrimonial, dado que as perdas já estavam reconhecidas em seu ativo e patrimônio líquido. O registro do impairment representa a mera transferência contábil do efeito negativo registrado em conta específica do patrimônio líquido para o resultado do exercício.

Historicamente, a BNDESPAR tem sido responsável por uma parcela significativa do lucro consolidado do BNDES. Entre 2010 e 2014, acumulou lucro líquido de R$ 12,8 bilhões, um resultado expressivo mesmo diante da volatilidade do mercado de capitais no período.

Posição financeira – O ativo total alcançou R$ 67,3 bilhões em dezembro de 2015, inferior aos R$ 77,2 bilhões de dezembro de 2014 como reflexo da redução da carteira de participações societárias. A carteira de participações societárias totalizou R$ 46,3 bilhões em dezembro de 2015, uma redução diante dos R$ 56,0 bilhões em dezembro de 2014 provocada pela desvalorização das ações que compõem esta carteira, especialmente Petrobras. O patrimônio líquido da BNDESPAR totalizou R$ 61,4 bilhões em dezembro de 2015, inferior aos R$ 66,1 bilhões de dezembro de 2014 em razão do prejuízo de R$ 7,6 bilhões em 2015.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247