Bolsonaro ameaça servidores e militares: "daqui a pouco não vai ter arrecadação para pagar vocês"

"Aí vai começar a atrasar e não pagar salário", disse Bolsonaro em uma tentativa de colocar ainda mais terror na população, com o objetivo de sabotar as medidas de isolamento social que tentam conter o avanço da pandemia no país

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro fez, neste sábado (10), em visita a uma comunidade da cidade satélite São Sebastião, nas cercanias de Brasília, uma ameaça a servidores públicos e militares.

Reforçando seu discurso contra as medidas de isolamento social para conter o avanço da pandemia, que já mata quase quatro mil brasileiros por dia, Bolsonaro disse que caso a "política do 'fique em casa'" continue, servidores públicos poderão ser afetados por uma possível falta de arrecadação, que pode culminar, segundo ele, em atraso de salários.

"Qual o futuro do Brasil com essa política do 'fique em casa', não tem aula,  fecha tudo? Quem pode ficar, servidor, ainda fica. Daqui a pouco, servidor público, civis e militares, não vai ter arrecadação para pagar vocês. Aí vai começar a atrasar e não pagar salário também. Então isso atinge a todos nós", afirmou.

Durante a visita, Bolsonaro e membros da equipe do governo, como o ministro Luiz Eduardo Ramos e o vereador Carlos Bolsonaro, não utilizavam máscara. Quase todos os moradores da casa em que Bolsonaro entrou estavam utilizando o equipamento de proteção.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email