Brasil escolhe caças Gripen, da Suécia, para FAB

Governo confirma compra de 36 aviões Gripen NG, da empresa sueca Saab, para a Força Aérea Brasileira por US$ 4,5 bilhões; anúncio sobre a aquisição como resultado da concorrência do Projeto FX foi feita pelo ministro da Defesa, Celso Amorim; "Em breve teremos aviões à altura da necessidade do País", disse, acrescentando que escolha levou em conta performance, transferência efetiva de tecnologia e custo; Força Aérea diz que hoje é "dia histórico"; disputa não favorecia, no atual momento, os norte-americanos da Boeing, devido às recentes denúncias de espionagem dos EUA ao Brasil; argumentos do prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, endossados pelo ex-presidente Lula, sobre fortalecimento do parque industrial de defesa, foram decisivos para presidente Dilma Rousseff definir escolha

Governo confirma compra de 36 aviões Gripen NG, da empresa sueca Saab, para a Força Aérea Brasileira por US$ 4,5 bilhões; anúncio sobre a aquisição como resultado da concorrência do Projeto FX foi feita pelo ministro da Defesa, Celso Amorim; "Em breve teremos aviões à altura da necessidade do País", disse, acrescentando que escolha levou em conta performance, transferência efetiva de tecnologia e custo; Força Aérea diz que hoje é "dia histórico"; disputa não favorecia, no atual momento, os norte-americanos da Boeing, devido às recentes denúncias de espionagem dos EUA ao Brasil; argumentos do prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, endossados pelo ex-presidente Lula, sobre fortalecimento do parque industrial de defesa, foram decisivos para presidente Dilma Rousseff definir escolha
Governo confirma compra de 36 aviões Gripen NG, da empresa sueca Saab, para a Força Aérea Brasileira por US$ 4,5 bilhões; anúncio sobre a aquisição como resultado da concorrência do Projeto FX foi feita pelo ministro da Defesa, Celso Amorim; "Em breve teremos aviões à altura da necessidade do País", disse, acrescentando que escolha levou em conta performance, transferência efetiva de tecnologia e custo; Força Aérea diz que hoje é "dia histórico"; disputa não favorecia, no atual momento, os norte-americanos da Boeing, devido às recentes denúncias de espionagem dos EUA ao Brasil; argumentos do prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, endossados pelo ex-presidente Lula, sobre fortalecimento do parque industrial de defesa, foram decisivos para presidente Dilma Rousseff definir escolha (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Depois de dez anos e diversos adiamentos, o governo confirmou na tarde desta quarta-feira 18 a escolha pela compra dos caças Gripen NG, da empresa sueca Saab, para a Força Aérea Brasileira (FAB). O anúncio foi feito pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, em coletiva de imprensa. "Em breve teremos aviões à altura da necessidade do País", declarou o ministro. Os novos caças substituirão os Mirage 2000, que serão aposentados na próxima sexta-feira 20.

Segundo Celso Amorim, pesou para a escolha da aquisição das 36 aeronaves três critérios. "Nós iniciamos agora uma fase de negociação do contrato. A escolha, que foi objeto de estudos e ponderações, levou em conta performance, transferência efetiva de tecnologia, e custo, não só de aquisição mas de manutenção. A escolha é o melhor equilíbrio desses três fatores", explicou. "Hoje é um dia histórico para a Força Aérea Brasileira", segundo nota da instituição.

Um dos argumentos mais fortes para a decisão partiu do prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, conforme apurou 247. Apoiado por Lula, Marinho lembrou junto a Dilma que a Saab tem longo histórico de relacionamento com o Brasil. A partir da compra dos Gripen, defendeu Marinho, o Brasil poderá remodelar todo o seu parque nacional voltado para a indústria de defesa. A cidade de São Bernardo tende a se tornar o epicentro desta retomada, com a criação de milhares de novos empregos diretos. 

Dilma anunciou hoje mais cedo, durante confraternização de fim de ano com as Forças Armadas, que o resultado da concorrência seria anunciado às 17h pelo ministro Celso Amorim. Os finalistas na disputa eram, além do Gripen NG, da Saab, o F-18 Super Hornet, da norte-americana Boeing, e o Rafale, da francesa Dassault. Executivos da Saab se reunirão com autoridades brasileiras ainda no fim desta tarde.

O programa, conhecido como FX-2, foi iniciado em maio de 2008 e tem o objetivo de adquirir inicialmente 36 novos caças para a FAB, que substituirão a atual frota, que está obsoleta. As recentes denúncias de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos EUA a empresas e cidadãos brasileiros e até mesmo às comunicações pessoais de Dilma colocaram em xeque as chances da fabricante norte-americana Boeing.

Desde o início do FX-2, as autoridades brasileiras têm insistido que a transferência de tecnologia seria um dos principais fatores a serem considerados na escolha. Ao anunciar em seu discurso que a decisão seria divulgada nesta quarta, Dilma acrescentou que também seriam divulgadas "parcerias" a serem feitas no programa FX-2. Empresa brasileira com presença nos mercados de defesa aérea domésticos e externos, a Embraer pode ser uma das beneficiárias dessas parcerias.

Com informações da Reuters

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247