Brasil está pronto para redução de incentivos na economia dos EUA

Afirmação foi feita pela presidente Dilma Rousseff, antes de o Federal Reserve (Fed), que é o Banco Central dos Estados Unidos,  confirmar, no final desta tarde, a redução do apoio econômico; "Vai ter, de fato, esse momento de saída da política monetária expansionista nos Estados Unidos, mas o Brasil nunca esteve tão preparado", disse Dilma

Afirmação foi feita pela presidente Dilma Rousseff, antes de o Federal Reserve (Fed), que é o Banco Central dos Estados Unidos,  confirmar, no final desta tarde, a redução do apoio econômico; "Vai ter, de fato, esse momento de saída da política monetária expansionista nos Estados Unidos, mas o Brasil nunca esteve tão preparado", disse Dilma
Afirmação foi feita pela presidente Dilma Rousseff, antes de o Federal Reserve (Fed), que é o Banco Central dos Estados Unidos,  confirmar, no final desta tarde, a redução do apoio econômico; "Vai ter, de fato, esse momento de saída da política monetária expansionista nos Estados Unidos, mas o Brasil nunca esteve tão preparado", disse Dilma (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A presidenta Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira 18 que o Brasil está preparado para a redução de incentivos financeiros na economia norte-americana pelo Federal Reserve (Fed), que é o Banco Central dos Estados Unidos. Ela fez os comentários antes de a autoridade monetária norte-americana confirmar, no final desta tarde (horário de Brasília), a redução do apoio econômico.

"Vai ter, de fato, esse momento de saída da política monetária expansionista nos Estados Unidos, mas o Brasil nunca esteve tão preparado. Nós não estamos mais naquela fase que o pessoal dizia: espirrou nos Estados Unidos, pneumonia no Brasil", disse em entrevista às rádios Jornal AM e JC News FM, de Pernambuco.

"O Banco Central está preparado, e está atento a esse fato", completou, explicando que o Brasil tem bases sólidas porque a inflação está sob controle, o desemprego é baixo e país tem reservas financeiras elevadas.

A presidenta lembrou que, há meses, quando começou a se discutir a redução de incentivos nos Estados Unidos, houve turbulência na economia de vários países. "Eles começaram a falar isso e deu uma turbulência no mercado: subiu o dólar e desvalorizou todas as moedas internacionais. Nós estamos extremamente preparados para isso", garantiu.

O Comitê de Política Monetária do Federal do Fed retomou hoje uma reunião de dois dias em Washington e anunciou, ao final, que vai reduzir de US$ 85 bilhões mensais para US$ 75 bilhões mensais o apoio à economia norte-americana, após grande expectativa mundial.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247