Brasil vira paraíso dos importadores

Dlar barato fez com que 5 mil novas empresas passassem a ter registro para importar neste ano, um recorde

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O Brasil deve ganhar mais 5 mil novos importadores neste ano - um recorde. Até junho, o número de empresas importadoras já havia atingido 33.615 - 3.420 a mais que no mesmo período de 2010, conforme dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).“O número de novos importadores está explodindo. Não só empresas comerciais, mas muitas indústrias”, disse José Augusto de Castro, vice-presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB). “Neste ano, vamos bater o recorde de 5 mil novos importadores.”

Segundo o especialista, as indústrias estão aproveitando o dólar barato para comprar máquinas, substituir insumos nacionais por importados e até trazer produtos acabados. “É uma maneira de reduzir custos e aumentar a margem de lucro.”

De acordo com Rodrigo Maciel, sócio da Strategus Consult e ex-diretor executivo do Conselho Empresarial Brasil-China, cerca de 70% das importações brasileiras vindas da China são de máquinas e matérias-primas. “Quanto mais barato o dólar, mais cresce o número de empresas interessadas em buscar insumos chineses.”

As importações vindas da China explodiram na última década. Em 2000, o Brasil comprou US$ 1,2 bilhão em produtos chineses. No ano passado, foram US$ 26 bilhões. No primeiro semestre deste ano, as importações da China chegaram a US$ 14,8 bilhões, 37% a mais que no mesmo período do ano anterior.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email