Caixa suspende empréstimos a estados sem garantia do Tesouro

Após as operações entrarem na mira do TCU, a Caixa Econômica anunciou que suspendeu temporariamente a concessão de créditos destinada aos Estados e Municípios; a suspensão das operações ocorre quinze dias após o Estadão revelar que o banco aumentou nos últimos meses a concessão de empréstimos para Estados e municípios sem garantia do Tesouro Nacional; ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, havia dito que os empréstimos seriam usados como moeda de troca pelo apoio de governadores e prefeitos à reforma da Previdência

Após as operações entrarem na mira do TCU, a Caixa Econômica anunciou que suspendeu temporariamente a concessão de créditos destinada aos Estados e Municípios; a suspensão das operações ocorre quinze dias após o Estadão revelar que o banco aumentou nos últimos meses a concessão de empréstimos para Estados e municípios sem garantia do Tesouro Nacional; ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, havia dito que os empréstimos seriam usados como moeda de troca pelo apoio de governadores e prefeitos à reforma da Previdência
Após as operações entrarem na mira do TCU, a Caixa Econômica anunciou que suspendeu temporariamente a concessão de créditos destinada aos Estados e Municípios; a suspensão das operações ocorre quinze dias após o Estadão revelar que o banco aumentou nos últimos meses a concessão de empréstimos para Estados e municípios sem garantia do Tesouro Nacional; ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, havia dito que os empréstimos seriam usados como moeda de troca pelo apoio de governadores e prefeitos à reforma da Previdência (Foto: Leonardo Lucena)

247 - Após as operações entrarem na mira do Tribunal de Contas da União (TCU), a Caixa Econômica Federal anunciou nesta sexta-feira (26), que suspendeu temporariamente a concessão de créditos destinada aos Estados e Municípios. Em comunidade, a Caixa informou que a concessão de crédito com garantias da União e para companhias de saneamento continua inalterada. 

A suspensão das operações ocorre quinze dias após o Estadão apontar que revelar que o banco, com dificuldades de capital, aumentou nos últimos meses a concessão de empréstimos para Estados e municípios sem garantia do Tesouro Nacional.

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, havia dito que os empréstimos seriam usados como moeda de troca pelo apoio de governadores e prefeitos à reforma da Previdência. A pasta é a principal responsável pela articulação dos interesses do Planalto e de parlamentares.

Quatro vices presidentes da Caixa foram afastados por Michel Temer, depois que os procuradores responsáveis pela Operação Greenfield enviaram um novo ofício ao emedebista alertando que ele poderia ser responsabilizado por "eventuais novos ilícitos" cometidos pelos gestores do banco. No documento, encaminhado inicialmente à Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, os membros do MPF colocam como data final para atendimento à recomendação o dia 26 de fevereiro.

A Operação Greenfield investiga indícios da existência de um esquema de cooptação de testemunhas para que não contribuíssem com a apuração de supostas irregularidades envolvendo fundos de pensão.

 

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247