Caos fiscal de Temer fará Brasil ser rebaixado, avisa agência de risco

A agência S&P Global Ratings tem perspectivas pouco animadoras para a economia brasileira: a nota de classificação de risco de Brasil deve ser rebaixada antes mesmo da eleição de 2018, por conta do caos fiscal causado pelos déficits do governo Temer; também é tímida a projeção de crescimento da economia brasileira para 2017: menos de 0,5%, bem abaixo da média mundial

meirelles temer
meirelles temer (Foto: Aquiles Lins)

247 - O diretor-geral de ratings soberanos da S&P Global Ratings, Roberto Sifon Arevalo, afirmou a jornalistas nesta terça-feira (22) que a nota do Brasil pode ser rebaixada antes mesmo das eleições de 2018. Para o analista, houve deterioração das contas públicas do Brasil nos últimos anos

Outro fator que dificulta a avaliação positiva do Brasil é a turbulência política. Uma agência de classificação de risco quer ver avanços concretos, ressaltou Sifon. A S&P espera o resultado das reformas para mudar a nota do Brasil, especialmente a reforma da Previdência. A Previdência responde por metade do impacto no déficit do governo.

Arevalo também ressaltou negativamente a trajetória da dívida, dizendo que o anúncio do aumento do déficit por parte do governo "não foi uma boa notícia". A nota do Brasil está em viés de baixa, com mais chances de ser reduzida do que aumentada. Essa avaliação será refeita num prazo de seis a nove meses. O analista acha pouco provável que o Brasil recupere o grau de investimento, dada a situação fiscal do país. Também é improvável que o PIB do Brasil cresça em 2017. A S&P prevê crescimento de menos de 0,5% neste ano, bem abaixo da média mundial.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247