CNI: é hora de darmos as mãos e ajudar a construir

Presidente da Confederação Nacional da Industria, Robson Andrade, afirma ser contrário à possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas ressalta que o governo está em um "caminho errado" em relação ao ajuste fiscal: “As instituições têm de ser respeitadas. Foi eleita, tem de respeitar e ajudar a construir o país dentro do sistema político que temos, com a liderança que escolhemos”, diz; segundo ele, se a economia melhorar e o país voltar a crescer, a impopularidade deve mudar completamente 

Presidente da Confederação Nacional da Industria, Robson Andrade, afirma ser contrário à possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas ressalta que o governo está em um "caminho errado" em relação ao ajuste fiscal: “As instituições têm de ser respeitadas. Foi eleita, tem de respeitar e ajudar a construir o país dentro do sistema político que temos, com a liderança que escolhemos”, diz; segundo ele, se a economia melhorar e o país voltar a crescer, a impopularidade deve mudar completamente 
Presidente da Confederação Nacional da Industria, Robson Andrade, afirma ser contrário à possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas ressalta que o governo está em um "caminho errado" em relação ao ajuste fiscal: “As instituições têm de ser respeitadas. Foi eleita, tem de respeitar e ajudar a construir o país dentro do sistema político que temos, com a liderança que escolhemos”, diz; segundo ele, se a economia melhorar e o país voltar a crescer, a impopularidade deve mudar completamente  (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O presidente da Confederação Nacional da Industria, Robson Andrade, se posiciona contra a possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff. “As instituições têm de ser respeitadas. Foi eleita, tem de respeitar e ajudar a construir o país dentro do sistema político que temos, com a liderança que escolhemos. Mas é necessário também que ela tome as decisões que o país precisa, não podemos ficar à mercê de problemas políticos”, diz.

Em entrevista à ‘Folha de S. Paulo’, ele ressalta que ‘é hora de darmos as mãos e ajudar a construir’: “Se a economia melhorar e o país voltar a crescer, a tendência é que a [impopularidade] mude completamente”, completa.

Andrade destaca, no entanto, que o governo está em um caminho errado em relação ao ajuste fiscal: “Mesmo que as desonerações tivessem sido aprovadas pelo Congresso, não resolveriam o problema do déficit. O governo contava com uma receita tributária inexistente porque a atividade econômica está caindo” (leia mais).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email