CNI vocifera contra tabelamento de frete: 'retrocesso' e 'ineficaz'

O anúncio feito pelo governo Michel Temer de que vai criar uma tabela para os preços do frete rodoviário no país, visando atender a uma reivindicação dos caminhoneiros e pôr fim a paralisação nacional da categoria desagradou a Confederação Nacional da Indústria (CNI); entidade qualificou a medida como "um grande retrocesso" e afirmou que a "fixação de preços mínimos infringe o princípio da livre-iniciativa e é ineficaz"

CNI vocifera contra tabelamento de frete: 'retrocesso' e 'ineficaz'
CNI vocifera contra tabelamento de frete: 'retrocesso' e 'ineficaz' (Foto: Reuters)

247 - O anúncio feito pelo governo Michel Temer de que vai criar uma tabela para os preços do frete rodoviário no país, visando atender a uma reivindicação dos caminhoneiros e pôr fim a paralisação nacional da categoria que entrou em seu oitavo dia nesta segunda-feira (28), desagradou o empresariado nacional. Para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a medida é "um grande retrocesso" e a "fixação de preços mínimos infringe o princípio da livre-iniciativa e é ineficaz".

Segundo a CNI, o tabelamento do frete resultará em uma alta generalizada dos preços em função da dependência do modal rodoviário em todo o país. "Além disso, de acordo com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), há um elevado risco de que a fixação de preços mínimos resultará na cartelização do setor, com consequências danosas para toda a economia", destaca a entidade.

Para a CNI, as ações do governo para enfrentar a crise provocada pela paralisação dos caminhoneiros são "soluções paliativas e de baixa efetividade", sendo necessário rever a questão tributária do país, o que incluiu a redução dos impostos que incidem sobre o setor produtivo e a sociedade.

Na nota a CNI diz ser "fundamental que a Presidência da República, o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal, o Ministério Público e a Procuradoria-Geral da República, os governos estaduais e demais órgãos públicos se empenhem ao máximo para encontrar solução para essa grave crise, possibilitando que o País volte o mais breve possível à ordem e à normalidade".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247