Com Bolsonaro querendo "privatizar tudo", Bolívia quer comprar fatia de gasoduto da Petrobrás

Enquanto o governo jair Bolsonaor, por meio do ministro da Economia, Paulo Guedes, apregoa o desejo de "entregar à iniciativa privada tudo o que for possível", a petroleira estatal boliviana YPFB planeja lançar oferta pela participação de 51% que a Petrobrás possui no duto que traz gás natural da Bolívia ao Brasil, visando garantir melhores termos para sua comercialização

Sede da Petrobras no Rio de Janeiro
Sede da Petrobras no Rio de Janeiro (Foto: REUTERS/Ricardo Moraes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - A petroleira estatal boliviana YPFB planeja lançar oferta por participação em duto que traz gás da Bolívia ao Brasil, visando garantir melhores termos para sua comercialização, disse a empresa na terça-feira.

A YPFB possui a intenção de realizar o lance por uma fatia não revelada da parcela de 51% pertencente à Petrobras (PETR4.SA) na Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil (TBG), que leva gás natural boliviano da fronteira entre os países até São Paulo, afirmou a companhia em um comunicado.

A YPFB disse que a ampliação de sua atual fatia de 12% no gasoduto a permitiria negociar diretamente com as empresas distribuidoras de gás natural e com indústrias do setor privado.

Na segunda-feira, a Petrobras afirmou que venderia sua parcela na TBG como parte de um acordo com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que prevê uma série de desinvestimentos da petroleira. [nL2N24913X]

A Petrobras apontou que o acordo vai proteger condições competitivas, além de encorajar novos participantes a entrarem no mercado de gás natural, mas não deixou claro quando ou como realizará as vendas dos ativos.

Reportagem de Daniel Ramos

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email