Com economia fraca, dólar abre em alta e é cotado a R$ 4,00

Moeda norte-americana superou o patamar psicológico de R$ 4 logo na abertura no pregão desta quinta-feira, em meio à apreensão do mercado no dia de instalação da comissão especial da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados; última vez que a moeda norte-americana fechou neste patamar foi em 1º de outubro do ano passado; falta de rumo da equipe econômica do governo Jair Bolsonaro e as incertezas sobre o futuro da economia ampliam temor do mercado

Com economia fraca, dólar abre em alta e é cotado a R$ 4,00
Com economia fraca, dólar abre em alta e é cotado a R$ 4,00 (Foto: REUTERS/Mohamed Abd El Ghany)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O dólar superou o patamar psicológico de 4 reais logo na abertura no pregão desta quinta-feira, em meio à apreensão do mercado no dia de instalação da comissão especial da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados.

Às 9:11, o dólar avançava 0,25 por cento, a 3,9962 reais na venda. A última vez que a moeda norte-americana fechou na casa dos 4 reais foi em 1º de outubro do ano passado (4,0183 reais).

Na véspera, a moeda já havia flertado com a marca ao fechar em alta de 1,63 por cento, a 3,9863 reais. O dólar futuro subia cerca de 0,15 por cento neste pregão.

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 5,350 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de maio, no total de 5,343 bilhões de dólares.

O BC também informou que começará em 2 de maio a rolagem integral dos 201.785 contratos de swap cambial tradicional com vencimento em 1º de julho de 2019.

Por Laís Martins;

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247