Com Temer, crédito tem maior queda da história

Colocado na Presidência por meio de um golpe parlamentar com o argumento de que o Brasil retomaria seu desenvolvimento econômico, Michel Temer não consegue entregar o prometido; indicadores não favorecem o peemedebista; o mais recente é o estoque total de crédito, que em 2016 caiu 3,5% no País, indo a R$ 3,107 trilhões; é o pior resultado anual e o primeiro no vermelho na série histórica para saldos, iniciada pelo Banco Central em março de 2007; resultado equivale a 49,3% do Produto Interno Bruto (PIB); política econômica do governo Michel Temer agravou a recessão e tende a persistir em 2017

Michel Temer, crédito, dinheiro .2
Michel Temer, crédito, dinheiro .2 (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - O estoque total de crédito no Brasil caiu 3,5 por cento em 2016, a 3,107 trilhões de reais, pior resultado anual e o primeiro no vermelho na série histórica para saldos iniciada pelo Banco Central em março de 2007, divulgou a autoridade monetária nesta quinta-feira.

Com isso, passou a representar 49,3 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

Em dezembro, a inadimplência no segmento de recursos livres caiu sobre novembro a 5,7 por cento, mas fechou 2016 com alta de 0,4 ponto percentual. Já o spread bancário no mesmo segmento avançou 8,1 pontos percentuais no ano, a 40,2 pontos percentuais.

(Por Marcela Ayres)

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247