Comércio pisa no freio e BC comemora

Tombini diz que queda do ritmo de vendas varejo j fruto da ao restritiva do governo

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, classificou o arrefecimento do ímpeto nas vendas do comércio varejista apontado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) como o começo de um reflexo das medidas macroprudenciais feitas pelo governo para conter a demanda no mercado doméstico. Desde o final do ano passado, o governo tem lançado mão de estratégias para conter o avanço da demanda no mercado doméstico, como forma de conter o avanço inflacionário junto ao consumidor.

"É um resultado de políticas que foram adotadas desde a virada do ano e estão começando a ter seu impacto no arrefecimento e na moderação da demanda. Isso vai ajudar ao longo do ano a trazer a inflação de volta ao centro da meta em 2012", afirmou Tombini. Ele participa hoje do seminário de metas de inflação promovido pelo BC, no Rio.

As vendas do comércio varejista subiram 1,2% em março ante fevereiro, na série com ajuste sazonal, informou hoje o IBGE. O resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas que esperavam uma expansão de 0,50% a 2,60%. A mediana das previsões apontava alta de 1,30%. Na comparação com março do ano passado, as vendas do varejo tiveram alta de 4,1% em março deste ano. Neste caso, as projeções apontavam alta de 2,30% a 6,80%, com mediana de 4,50%. Até março, as vendas do setor acumulam altas de 6,90% no ano e de 9,50% nos últimos 12 meses.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email