Crise da construção faz engenheiro virar taxista

Engenheiros dirigindo táxis: essa imagem, que foi um dos símbolos dos anos 80, na chamada década perdida, está de volta; em sua reportagem de capa deste domingo, a Folha localizou um engenheiro que se transformou em motorista do Uber; setores de construção e petróleo passam pela maior crise de sua história desde que praticamente todas as empreiteiras nacionais foram atingidas pela Lava Jato; a diferença agora é que o táxi virou Uber

Engenheiros dirigindo táxis: essa imagem, que foi um dos símbolos dos anos 80, na chamada década perdida, está de volta; em sua reportagem de capa deste domingo, a Folha localizou um engenheiro que se transformou em motorista do Uber; setores de construção e petróleo passam pela maior crise de sua história desde que praticamente todas as empreiteiras nacionais foram atingidas pela Lava Jato; a diferença agora é que o táxi virou Uber
Engenheiros dirigindo táxis: essa imagem, que foi um dos símbolos dos anos 80, na chamada década perdida, está de volta; em sua reportagem de capa deste domingo, a Folha localizou um engenheiro que se transformou em motorista do Uber; setores de construção e petróleo passam pela maior crise de sua história desde que praticamente todas as empreiteiras nacionais foram atingidas pela Lava Jato; a diferença agora é que o táxi virou Uber (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Uma imagem divulgada na capa da edição da Folha de S. Paulo deste domingo trouxe de volta um dos símbolos dos anos 80: engenheiros dirigindo táxis. Uma imagem marcante da "década perdida", que, agora, retorna.

A reportagem, intitulada "Engenheiros, antes escassos, agora sobram no mercado", localizou o profissional Antonio Carlos Mitisuke Seirio, que ficou sem emprego em sua área e se transformou em motorista do Uber.

De acordo com estudo da Federação Nacional dos Engenheiros, em 2014 foram contratados pouco mais de 52 mil profissionais de engenharia e demitidos 55,1 mil. Apenas em 2015, o setor da construção civil fechou 416,9 mil vagas, de acordo com dados do Ministério do Trabalho.

Setores de construção e petróleo passam pela maior crise de sua história desde que praticamente todas as empreiteiras nacionais foram atingidas pela Operação Lava Jato. A diferença de agora, em relação aos anos 80, é que o táxi virou Uber.

PUBLICIDADE

Para tentar reanimar o setor de engenharia, o governo aposta nos acordos de leniência com as empreiteiras. No entanto, representantes do Ministério Público condenam a ideia por considerar que a medida concede favores a empresas corruptas.

Foram atingidas pela Lava Jato ícones da construção como Odebrecht, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Mendes Júnior e Queiroz Galvão, entre muitas outras empresas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email