Crise hídrica: sistema no limite aumenta risco de apagão e governo fará racionamento em órgãos públicos

Analistas veem maior risco de apagão por causa de alguns alertas como incentivos à indústria para a redução do consumo de energia nos horários pico

(Foto: José Fernando Ogura/AEN)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Especialistas destacaram que medidas adotadas pelo governo Jair Bolsonaro nas últimas semanas para enfrentar o agravamento da crise hídrica aumenta o risco de interrupções no fornecimento de energia neste segundo semestre.

De acordo com informações do jornal O Globo, analistas veem maior risco de apagão por causa de alguns alertas como redução na vazão das hidrelétricas, incentivos à indústria para a redução do consumo de energia nos horários pico e flexibilização nas margens de segurança na transmissão de energia.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que o governo implementará ainda em setembro metas de redução do consumo para clientes residenciais e pequenos empreendimentos em troca de bônus, mas sem obrigatoriedade.

PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email