Delator aponta propina do BankBoston, comprado pelo Itaú

Ex-conselheiro do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) Paulo Roberto Cortez é o primeiro réu a firmar acordo de delação premiada no âmbito das ações da operação Zelotes; acordo já teria sido homologado pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal; delator denunciou irregularidades envolvendo o Bank Boston em 2012, quando o banco teve uma multa reduzida de R$ 600 milhões para R$ 100 milhões em um processo; BankBoston foi um dos alvos da operação em dezembro do ano passado e houve buscas nas dependências do Itaú Unibanco

Ex-conselheiro do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) Paulo Roberto Cortez é o primeiro réu a firmar acordo de delação premiada no âmbito das ações da operação Zelotes; acordo já teria sido homologado pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal; delator denunciou irregularidades envolvendo o Bank Boston em 2012, quando o banco teve uma multa reduzida de R$ 600 milhões para R$ 100 milhões em um processo; BankBoston foi um dos alvos da operação em dezembro do ano passado e houve buscas nas dependências do Itaú Unibanco
Ex-conselheiro do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) Paulo Roberto Cortez é o primeiro réu a firmar acordo de delação premiada no âmbito das ações da operação Zelotes; acordo já teria sido homologado pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal; delator denunciou irregularidades envolvendo o Bank Boston em 2012, quando o banco teve uma multa reduzida de R$ 600 milhões para R$ 100 milhões em um processo; BankBoston foi um dos alvos da operação em dezembro do ano passado e houve buscas nas dependências do Itaú Unibanco (Foto: Aquiles Lins)

247 - O ex-conselheiro do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) Paulo Roberto Cortez é o primeiro réu a firmar acordo de delação premiada no âmbito das ações da operação Zelotes. 

Segundo o Bom Dia Brasil, a TV Globo, o acordo já foi homologado pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal. Delação traz denúncias que envolvem o Bank Boston, comprado pelo banco Itaú em 2006.

O delator denunciou irregularidades envolvendo o Bank Boston em 2012, quando o banco teve uma multa reduzida de R$ 600 milhões para R$ 100 milhões em um processo. Ele teria recebido um voto do então conselheiro Valmir Sandri favorável ao banco e teve a orientação de adaptar o texto aos padrões do Conselho, segundo a reportagem do Bom Dia Brasil.

Em dezembro, a Polícia Federal cumpriu 34 mandados judiciais, sendo 21 de busca e apreensão e 13 de condução coercitiva, como parte da 8ª fase da Operação Zelotes. O BankBoston foi um dos alvos da operação e houve buscas nas dependências do Itaú Unibanco. Segundo nota do banco na ocasião, "o objeto da operação foi a busca de documentos relativos a processos tributários do BankBoston".

As informações são do jornal O Globo

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247