Depois de carros e motos, produção de bicicletas também despenca sob Temer

Produção de bicicletas no Brasil caiu 11,5% em 2016, na comparação com 2015; segundo levantamento divulgado pela Abraciclo, associação dos fabricantes, foram 669.729 unidades ante 757.045 produzidas no ano anterior; vice-presidente do segmento de Bicicletas da entidade, João Ludgero, credita a queda a "dificuldades do contexto econômico nacional"; em 2016, além na produção de bicicleta, a depressão econômica provocada por Michel Temer e Henrique Meirelles derrubaram também a fabricação de automóveis em 11,2%, e de motocicletas em 30%

Produção de bicicletas no Brasil caiu 11,5% em 2016, na comparação com 2015; segundo levantamento divulgado pela Abraciclo, associação dos fabricantes, foram 669.729 unidades ante 757.045 produzidas no ano anterior; vice-presidente do segmento de Bicicletas da entidade, João Ludgero, credita a queda a "dificuldades do contexto econômico nacional"; em 2016, além na produção de bicicleta, a depressão econômica provocada por Michel Temer e Henrique Meirelles derrubaram também a fabricação de automóveis em 11,2%, e de motocicletas em 30%
Produção de bicicletas no Brasil caiu 11,5% em 2016, na comparação com 2015; segundo levantamento divulgado pela Abraciclo, associação dos fabricantes, foram 669.729 unidades ante 757.045 produzidas no ano anterior; vice-presidente do segmento de Bicicletas da entidade, João Ludgero, credita a queda a "dificuldades do contexto econômico nacional"; em 2016, além na produção de bicicleta, a depressão econômica provocada por Michel Temer e Henrique Meirelles derrubaram também a fabricação de automóveis em 11,2%, e de motocicletas em 30% (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Flávia Albuquerque, da Agência Brasil - A produção de bicicletas no país caiu 11,5% em 2016 na comparação com 2015. Foram 669.729 unidades ante 757.045 produzidas no ano anterior, segundo dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

Segundo o vice-presidente do segmento de Bicicletas da entidade, João Ludgero, a queda se deve a "dificuldades do contexto econômico nacional" em 2016. Apesar do resultado, para 2017, o setor espera recuperação e projeta um crescimento de 19%.

"O otimismo em relação à melhora na economia e na estabilidade política do país contribui para prever uma recuperação de volumes no setor em 2017", avaliou Ludgero, segundo comunicado divulgado pela Abraciclo.

Em dezembro, a queda na produção chegou a 77,9% em relação a novembro, com 15.245 bicicletas produzidas ante 68.850 que saíram das fábricas no mês anterior. Em geral, o resultado do último mês do ano é influenciado pelas férias coletivas dos trabalhadores da indústria.

Balança comercial

Em 2016, as exportações de bicicletas somaram 8.423 unidades, 27,4% a mais do que em 2015. Segundo a Abraciclo, os três principais destinos das bicicletas brasileiras em 2016 foram Paraguai, com 4.192 unidades; a Bolívia, com 2.962 unidades; e o Uruguai, com 778.

Já as importações tiveram queda de 44,4%, com 135.153 bicicletas compradas de outros países no ano passado. Os três principais fornecedores destes produtos para o mercado brasileiro em 2016 foram a China, com 115.841 unidades; Taiwan, com 11.013 unidades; e Portugal, com 3.918 bicicletas.

Leia também: 

Recessão Temer-Meirelles derruba produção de veículos em 11,2%

Recessão de Temer derruba venda de motos em 30%

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email