Deputados americanos aprovam plano republicano

Autorizao para o amento do teto da dvida americana, hoje em US$ 14,3 trilhes, segue para o Senado, onde deve ser rejeitado; impasse continua; faltam quatro dias para o calote

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Os deputados republicanos conseguiram superar parte das discordâncias internas e aprovaram o projeto de lei apresentado por seu companheiro de partido John Boehner, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, para reduzir o déficit orçamentário e aumentar o teto da dívida norte-americana. O plano recebeu 218 votos a favor e 210 contra. Nenhum democrata foi favorável à legislação e 22 republicanos rejeitaram a proposta.

A vitória do Partido Republicano na Câmara, no entanto, deve ter vida curta, pois o projeto de lei dificilmente será aprovado no Senado, onde a maioria é democrata. Os senadores devem votar sobre o plano ainda hoje.

A proposta de Boehner prevê uma elevação de US$ 900 bilhões no limite de endividamento dos EUA, mas em contrapartida adota medidas para cortar o déficit orçamentário do país em US$ 917 bilhões ao longo dos próximos 10 anos. O aumento no teto da dívida seria suficiente para satisfazer as necessidades de financiamento do governo até fevereiro ou março do ano que vem. A partir deste período, porém, tanto a Câmara quanto o Senado precisarão chegar a um acordo sobre o orçamento para que o limite de endividamento fosse elevado novamente.

O líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid, está defendendo um projeto de lei alternativo, que eleva o teto da dívida norte-americana e US$ 2,4 trilhões, ou o suficiente para suprir as demandas por financiamento até março de 2013.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email