Deputados vão ao STF contra a privatização da Eletrobras

Deputados do PT, liderados por Arlindo Chignalia, destacaram a necessidade de 'conscientização da população acerca dos impactos tarifários decorrentes da privatização' da empresa

www.brasil247.com - Eletrobras e o deputado Arlindo Chignalia
Eletrobras e o deputado Arlindo Chignalia (Foto: Reuters | ABr)


247 - Deputados federais do PT, liderados pelo deputado federal Arlindo Chignalia (SP), entraram nesta terça-feira (17) com pedido de liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) para que seja suspenso o julgamento da privatização da Eletrobras. O julgamento do processo de privatização da Eletrobras será retomado nesta quarta-feira (18), às 14h30.

O documento destacou a necessidade de "efetiva conscientização da população acerca dos impactos tarifários decorrentes da privatização" da companhia. De acordo com os deputados, não vale "privatizar a companhia a qualquer custo", inclusive em "detrimento do dever de transparência que é obrigatório ao próprio Estado".

Parlamentares apontaram "ilegalidade procedimental" do Ministério de Minas e Energia no sentido de não divulgar a íntegra dos estudos, mas apenas um resumo técnico. Disseram também que, na apresentação dos parâmetros, não foram incluídas as contratações de térmicas e pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), exigidas por lei.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"É inadmissível que o estudo, cuja publicidade sequer atende parâmetros mínimos, não tenha incluído os ‘jabutis’ que, pelos cálculos da Fiesp, custarão R$ 400 bilhões ao consumidor", registra a nota.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email