Dilma: reajuste lamentável do Judiciário compromete ajuste

Presidente Dilma Rousseff criticou a aprovação pelo Congresso Nacional de um projeto de lei que dá reajuste de até 78,6 por cento aos servidores do Judiciário até 2017: "É insustentável um país como o nosso, em qualquer circunstância, dar níveis de aumento tão elevados. De fato, compromete o ajuste fiscal"; governo fez uma contraproposta de um reajuste da ordem de 21 por cento escalonados por quatro anos a partir de 2016

São Francisco - EUA, 01/07/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante encontro com a senhora Janet Napolitano, presidemte da Universidade da Califórnia. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
São Francisco - EUA, 01/07/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante encontro com a senhora Janet Napolitano, presidemte da Universidade da Califórnia. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR (Foto: Roberta Namour)

(Reuters) - A presidente Dilma Rousseff classificou de "lamentável" nesta quarta-feira a aprovação pelo Congresso Nacional de um projeto de lei que dá reajuste de até 78,6 por cento aos servidores do Judiciário até 2017 e disse que a medida compromete o ajuste fiscal realizado por seu governo.

"É insustentável um país como o nosso, em qualquer circunstância, dar níveis de aumento tão elevados", disse a presidente a jornalistas após visitar a sede do Google, em Mountain View, nos Estados Unidos.

"Nós ainda temos oportunidade de avaliar como é que vai ser essa questão do aumento. De fato, compromete o ajuste fiscal", reconheceu a presidente.

Dilma, que se recusou a comentar os números da pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quarta, que apontaram aprovação de apenas 9 por cento para seu governo, também não quis falar se vetará a proposta aprovada pelos parlamentares.

"Eu também não discuto veto antes da hora, porque eu tenho que respeitar o procedimento legislativo", afirmou.

Na noite de terça, o Senado aprovou, a contragosto do governo, o projeto de reajuste do Judiciário, que já havia passado na Câmara e que, nas estimativas do Ministério do Planejamento, terá impacto de 25,7 bilhões de reais nos próximos quatro anos, sendo 1,5 bilhão de reais somente em 2015. Após 2018, o impacto previsto é de 10,5 bilhões de reais ao ano.

O governo fez uma contraproposta aos servidores do Judiciário de um reajuste da ordem de 21 por cento escalonados por quatro anos a partir de 2016.

(Reportagem de Eduardo Simões)

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247