Dólar volta a encostar em R$ 5,60 influenciado por decisão de Trump

Em postagem no Twitter, Trump anunciou a suspensão das negociações para a votação de um novo pacote de estímulos nos Estados Unidos até depois das eleições de novembro

Dólar tem maior queda semanal em mais de um ano após Fed
Dólar tem maior queda semanal em mais de um ano após Fed (Foto: REUTERS/Sergio Moraes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil - Influenciado por fatores domésticos e internacionais, o dólar, que ontem (5) tinha tido a maior queda diária em cinco semanas, voltou a subir hoje (6) e encostou na barreira de R$ 5,60. A bolsa de valores fechou com queda, após iniciar o dia em alta.

O dólar comercial encerrou esta terça-feira (6) vendido a R$ 5,598, com valorização de R$ 0,029 (+0,52%). A divisa operou em queda na maior parte do dia. Na mínima da sessão, por volta das 12h, chegou a ser vendida a R$ 5,48. A cotação, no entanto, reverteu o movimento. Influenciada por uma decisão do presidente norte-americano, Donald Trump.

Em postagem na rede social Twitter, Trump anunciou a suspensão das negociações para a votação de um novo pacote de estímulos nos Estados Unidos até depois das eleições de novembro. No Brasil, a cotação foi influenciada pelo anúncio de que a apresentação do Renda Cidadã, que seria amanhã (7), foi adiada para a próxima semana.

A reversão de expectativas também afetou o mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3 (a bolsa de valores brasileira), fechou esta terça-feira aos 95.615 pontos, com recuo de 0,49%. O indicador começou o dia em alta, chegando a subir quase 1,4% durante a manhã, mas passou a cair após a postagem de Trump.

Todos os três principais índices de ações dos Estados Unidos viraram bruscamente para baixo com o congelamento das negociações para o pacote de estímulos. Em Wall Street, o Dow Jones (das empresas industriais) caiu 1,34%, o S&P 500 perdeu 1,4% e o Nasdaq (das empresas tecnológicas) caiu 1,57%.

* Com informações da Reuters

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247