Dólares: a enxurrada continua

O governo no consegue inibir a entrada de moeda estrangeira no Pas. S em fevereiro, foram US$ 7,4 bilhes

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse dias atrás que o governo promoverá novas ações para inibir a entrada de dólares no País. O aviso é recorrente, assim como a ineficácia das ações tomadas nos últimos anos. Em 2011, o Brasil continua recebendo uma enxurrada de dólares. Em fevereiro, o Banco Central registrou um ingresso líquido de US$ 7,419 bilhões. Na primeira semana de março, até o dia 4, o ingresso líquido de dólares já chega a US$ 1,424 bilhão. No acumulado do ano até o dia 4 de março, o ingresso de dólares já soma R$ 24,356 bilhões. Esse fluxo da moeda americana, em menos de três meses, já é superior ao volume registrado de todo o ano passado, quando o BC informou um saldo positivo de US$ 24 354 bilhões.

O fluxo financeiro - que contabiliza investimentos, remessas de lucros, empréstimos, entre outros itens que não fazem parte da balança comercial - apresentou em fevereiro saldo positivo de US$ 7,918 bilhões, resultado de entradas de US$ 32,125 bilhões e saídas de US$ 24,208 bilhões. O fluxo comercial, por outro lado, fechou o mês passado negativo em US$ 498 milhões, com exportações de US$ 14,670 bilhões e importações de US$ 15,169 bilhões. Em fevereiro do ano passado, que teve 18 dias úteis, o fluxo cambial foi negativo em US$ 399 milhões.

Em apenas quatro dias, o ingresso de dólares para o Brasil em março já soma US$ 1,424 bilhão, informou o BC. O fluxo financeiro apresentou no período saldo positivo de US$ 2,081 bilhões, resultado de entradas de US$ 6,411 bilhões e saídas de US$ 4,330 bilhões. O fluxo comercial, por outro lado, neste mesmo período está negativo em US$ 657 milhões, com exportações de US$ 3,261 bilhões e importações de US$ 3,918 bilhões. Em março do ano passado, o fluxo fechou negativo em US$ 838 milhões.


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email