Dono da Claro: “vampiro capitalista global”

O mexicano Carlos Slim, homem mais rico do mundo, que é dono no Brasil da Claro, da Net e da Embratel, será alvo de quatro dias de protestos promovidos pelo movimento Occupy Wall Street

Dono da Claro: “vampiro capitalista global”
Dono da Claro: “vampiro capitalista global” (Foto: Divulgação_Reuters)

Reuters - Uma coalizão de grupos de defesa dos direitos dos imigrantes, o movimento "Ocupe Wall Street" e políticos de Nova York disseram nesta segunda-feira que vão realizar a partir de terça-feira quatro dias de protestos contra Carlos Slim, o homem mais rico do mundo, diante da loja Saks, na Quinta Avenida, em Nova York.

A coalizão, autodenominada "Dois Países Uma Voz", está protestando contra práticas comerciais de Slim, que detém uma participação na Saks Inc, bem como empresas de telefonia móvel e fixa que dominam o mercado em seu país, o México.

"Carlos Slim é o (mais rico) 1 por cento do 1 por cento", disse George Martínez, representante do Ocupe Wall Street, durante uma entrevista à imprensa em Nova York para lançar o protesto. "Esta semana vocês verão ação direta... para interromper os vampiros monopolistas globais."

"Dois Países Uma Voz" é uma coalizão informal de cerca de 50 organizações, segundo o relações públicas Andrés Ramírez, de Las Vegas, e o advogado Juan José Gutiérrez, de Los Angeles.

A coalizão foi formada no início deste ano para protestar contra o preço alto pago pelos mexicanos nas ligações de longa distância para a família nos Estados Unidos.

Os serviços de telefonia no México são dominados pela Teléfonos de México, ou Telmex, de Slim, a qual provê quase 80 por cento dos serviços. Slim controla cerca de 70 por cento do mercado de celulares por meio da America Movil.

A revista Forbes estima a fortuna dele em aproximadamente 69 bilhões de dólares.

(Reportagem de Nicola Leske, em Nova York, e de Elinor Comlay, na Cidade do México)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247