Dono da Dolly estranha lista da Procuradoria que aponta dívidas de R$ 60 bi para suas empresas

A divulgação acontece depois que o empresário Laerte Codonho ingressou com ações indenizatórias contra procuradores acusando-os de má-fé em ações de cobrança

Laerte Codonho
Laerte Codonho (Foto: Reprodução)

Causou espanto e estranheza ao empresário Laerte Codonho, da empresa de refrigerantes Dolly, a divulgação de uma lista extraída do site da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional que tem suas empresas como devedoras de R$ 60,8 bilhões — o que a colocaria ao lado de gigantes combalidas, como a OI e a Odebrecht. 

A divulgação acontece depois que Codonho ingressou com ações indenizatórias contra procuradores acusando-os de má-fé em ações de cobrança. 

Ele chegou a ser preso em 2018 por causa de uma offshore que, segundo os procuradores, pertenciam ao empresário. Depois, os próprios procuradores admitiram o erro, porque a offshore tinha outro dono, mas a Dolly havia entrado em recuperação judicial e Codonho nunca chegaria a ser denunciado. 

Na ocasião, ele também disse ser vítima de perseguição da Coca-Cola, empresa com a qual já manteve disputa acirradas e acusa de ser desleal.

A questão da lista da PGFN é ainda mais estranha porque ela soma valores idênticos para cada empresa ou CPF relacionado ao empresário, gerando uma soma assustadora. O fabricante de refrigerantes coleciona decisões judiciais que, se confirmadas, fariam com que ele tivesse créditos tributários a receber. 

Para Codonho, o esquema do site da Procuradoria é malandro: encontrar nomes ligados ao suposto devedor (inclusive homônimos, não importa) e repetir o valor da dívida para cada um, gerando uma soma assustadora.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247