Donos da Ambev ganharam US$ 50 milhões em dois dias na especulação da Eletrobrás

Anúncio da privatização fez disparar as ações da estatal na Bolsa, para delírio dos acionistas; o fundo 3G Radar, um dos que mais ganharam dinheiro, tem como sócio indireto Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do Brasil, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles, o trio que comanda a Ambev

Anúncio da privatização fez disparar as ações da estatal na Bolsa, para delírio dos acionistas; o fundo 3G Radar, um dos que mais ganharam dinheiro, tem como sócio indireto Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do Brasil, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles, o trio que comanda a Ambev
Anúncio da privatização fez disparar as ações da estatal na Bolsa, para delírio dos acionistas; o fundo 3G Radar, um dos que mais ganharam dinheiro, tem como sócio indireto Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do Brasil, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles, o trio que comanda a Ambev (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os acionistas deram pulos de alegria com a valorização da Eletrobrás nos últimos dias, após o anúncio de privatização pelo governo Temer.

As ações da estatal subiram quase 50% na Bolsa de Valores de São Paulo. Entre os que mais levaram dinheiro estão o fundo 3G Radar e o Banco Clássico.

O fundo tem como sócio indireto o empresário Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do Brasil, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles, o trio que comanda a Ambev. Os três ganharam US$ 49 milhões em apenas dois dias com a privatização.

Já o dono do Banco Clássico, Juca Abdalla - que já emprestou um helicóptero a Michel Temer, ganhou R$ 1 bilhão em um dia.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247