E o dólar derrete …

Um dia depois do anncio de medidas para conter sua desvalorizao, a moeda americana chegou ao menor nvel desde agosto de 2008

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Um dia depois do governo anunciar uma série de medidas para evitar a desvalorização do dólar, a moeda norte-americana voltou a mostrar a força de seu derretimento e recuou 1,85%, a R$ 1,582 na compra e a R$ 1,584 na venda. Foi a primeira vez que o dólar fechou abaixo de R$ 1,60 desde agosto de 2008 e este é o menor patamar de fechamento desde o dia 6 de agosto daquele ano, quando fechou valendo R$ 1,578.

Na semana, o dólar acumula queda de 1,74%. No mês, a desvalorização é de 2,88% e, no ano, a divisa recua 4,92%. Na quarta-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou o aumento do prazo para empréstimos no exterior com alíquota maior do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), de 6%, de um ano para dois anos. Após reunião com a bancada do PT na Câmara, o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, comentou as recentes medidas adotadas para controlar o câmbio, como a elevação do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre a entrada de capital estrangeiro. "A medida do IOF, todas as medidas cambiais são para atenuar a tendência de apreciação do real e não têm por objetivo uma taxa de câmbio específica", afirmou.

Sobre a alta do IPCA, que hoje apresentou índice superior ao estimado pelo ministério, o secretário reconheceu que "temos choques" e atribuiu a elevação do índice ao "preço do etanol e do açúcar". "Sempre que ela está correndo acima da meta, é um motivo de atenção por parte do governo", completou. Depois de subir 0,31% na véspera na expectativa das medidas cambiais que seriam anunciadas, o dólar fechou em queda nesta quinta-feira (7).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email