Economia chinesa bomba e reforça contraste com Brasil arrasado

A atividade industrial da China expandiu no ritmo mais rápido em seis meses em agosto, mostrou nesta sexta-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit, devido ao aumento das encomendas para exportações e dos preços mais altos; o Brasil pós-golpe se converteu em retardatário global

Un operaio cinese a lavoro. REUTERS/China Daily
Un operaio cinese a lavoro. REUTERS/China Daily (Foto: Leonardo Attuch)

PEQUIM (Reuters) - A atividade industrial da China expandiu no ritmo mais rápido em seis meses em agosto, mostrou nesta sexta-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit, devido ao aumento das encomendas para exportações e dos preços mais altos.

Os novos negócios cresceram à taxa mais forte em mais de três anos, enquanto as encomendas para exportação registraram o aumento mais forte em mais de sete anos, indicando demanda robusta tanto doméstica quanto externa.

O PMI de indústria do Caixin/Markit subiu para 51,6 em agosto contra 51,1 em julho, superando a expectativa de economistas de ligeira queda para 50,9.

O resultado permanece acima da leitura de 50 que separa crescimento de contração pelo terceiro mês seguido.

A pesquisa do Caixin segue-se a uma pesquisa oficial sobre a indústria da mesma forma mais forte do que o esperado divulgada na quinta-feira, embora o dado oficial tenha mostrado uma redução nas encomendas para exportação dos bens chineses.

A pesquisa privada tende a se concentrar em empresas menores, enquanto que a oficial cobre empresas maiores, muitas delas estatais.

Em linha com o levantamento oficial, o PMI do Caixin também mostrou aumentos mais fortes nos preços de insumo e de produção, com as empresas repassando os aumentos dos preços para os clientes.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247