Economistas revisam projeções e esperam alta do PIB em 2021

Aumento da confiança empresarial em setores industriais como metalurgia, farmacêutico e químico fez com que os economistas revisassem as projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 3,2% para 3,8% ao longo deste ano

Fábrica de alumínio em Pindamonhangaba, SP
Fábrica de alumínio em Pindamonhangaba, SP (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano, que subiu de 3,2% para 3,8%, está acompanhada pelo aumento da confiança de setores industriais como a metalurgia, farmacêutica e química. 

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), publicados pelo jornal O Estado de S. Paulo, o indicador de confiança empresarial, que chegou a cair ,6 pontos em março, subiu 4,3 pontos em abril, chegando ao patamar de 89,8 pontos, apenas seis pontos abaixo do registrado em fevereiro do ano passado, antes do início da pandemia. 

Para o superintendente de Estatísticas Públicas do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), Aloisio Campelo Júnior, apesar de alguns setores estarem se recuperando, outras atividades ligadas ao setor de serviços ainda estão em dificuldades. 

Nesta lista estão subsetores como o comércio de tecidos, caçados e vestuário, além de alimentação e hotelaria, entre outros. “O consumo de bens já está em níveis acima do pré-pandemia, o que está segurando é o consumo de serviços”, avaliou Campelo.

“Como as coisas não vão voltar ao normal imediatamente, os segmentos que dependem de aglomeração vão ter uma melhora gradual. A partir do momento que houver uma percepção de que a maior parte da população está sendo vacinada, até o setor de serviços pode ter uma expansão temporária mais forte”, completou. 

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email