Economia do País cresceu 2,7% em 2011

Segundo o IBGE, resultado do PIB no ano passado o mais fraco desde 2009; indstria foi um dos destaques negativos

Economia do País cresceu 2,7% em 2011
Economia do País cresceu 2,7% em 2011 (Foto: DIVULGAÇÃO)

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil registrou aumento de 2,7% em 2011 na comparação com 2010, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas consultados pelo AE Projeções, que esperavam uma expansão entre 2,60% a 3%, e ficou abaixo da mediana projetada de 2,80%. Segundo o instituto, o PIB de 2011 em valores correntes somou R$ 4,143 trilhões.

O PIB registrou aumento de 0,30% no quarto trimestre de 2011 contra o terceiro trimestre do mesmo ano. O resultado também veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas consultados pelo AE Projeções (de queda de 0,20% a alta de 0 70%) e ficou acima da mediana projetada positiva de 0,20%.

Na comparação com o quarto trimestre de 2010, o PIB apresentou alta de 1,40%, dentro das estimativas do AE Projeções, que variavam de uma alta de 0,80% a 1,90%, com mediana de 1,50%.

O PIB da indústria caiu 0,5% no quarto trimestre de 2011, ante o terceiro trimestre do ano passado. Na comparação com o quarto trimestre de 2010, o PIB da indústria caiu 0,4% no quarto trimestre de 2011. Em 2011, o PIB da indústria subiu 1,6% ante 2010.

O PIB da agropecuária subiu 0,9% no quarto trimestre do ano passado ante o terceiro trimestre de 2011. Na comparação com o quarto trimestre de 2010, o PIB da agropecuária teve alta de 8 4% no último trimestre do ano passado. Com o desempenho fechado do quarto trimestre de 2011, o PIB da agropecuária encerrou o ano passado com alta de 3,9% ante o resultado de 2010.

O PIB de serviços mostrou alta de 0,6% no quarto trimestre de 2011 ante o terceiro trimestre do ano passado. Na comparação com o quarto trimestre de 2010, o PIB de serviços mostrou alta de 1 4% no quarto trimestre de 2011. Isso levou uma alta de 2,7% no PIB de serviços em 2011 em relação a um ano antes.

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), que representa a parcela de investimentos dentro do PIB, subiu 0,2% no quarto trimestre do ano passado ante o terceiro trimestre. Na comparação com o quarto trimestre de 2010, a FBCF avançou 2% no quarto trimestre do ano passado. Isso conduziu a um resultado de alta de 4,7% no FBCF em 2011 em relação a 2010.

Consumo

O consumo das famílias subiu 1,1% no quarto trimestre de 2011, ante o terceiro trimestre do ano passado. Na comparação com o quarto trimestre de 2010, o consumo das famílias subiu 2,1% no quarto trimestre de 2011. Em 2011, o consumo das famílias subiu 4,1% ante 2010.

O consumo do governo subiu 0,4% no quarto trimestre de 2011 ante o terceiro trimestre do ano passado. Na comparação com o quarto trimestre de 2010, o consumo do governo subiu 1,3% no quarto trimestre de 2011. No acumulado de todo o ano passado, o consumo do governo cresceu 1,9% ante o ano anterior.

Comércio exterior

As exportações brasileiras subiram 1,9% no quarto trimestre de 2011 ante o terceiro trimestre do ano passado. Na comparação com o quarto trimestre de 2010, as exportações subiram 3,7% no quarto trimestre de 2011. Em 2011, as exportações subiram 4,5% ante 2010.

No caso das importações, houve alta de 2,6% no quarto trimestre de 2011 contra o terceiro trimestre do ano passado. Na comparação com o quarto trimestre de 2010, houve aumento de 6,4% nas importações no quarto trimestre de 2011. Com isso, as importações subiram 9,7% em 2011 contra 2010.

Resultado do PIB em 2011 é o mais fraco desde 2009

A alta no PIB foi o mais fraco resultado anual desde 2009 (-0,3%, o ano da crise global) e foi bem diferente do desempenho de 2010 (+7,5%). Segundo o IBGE, o aumento de 1,4% no PIB do quarto trimestre do ano passado, ante igual trimestre em 2010, foi o pior resultado nesta comparação desde o terceiro trimestre de 2009 (-1,5%).

Indústria da transformação

O PIB da indústria da transformação caiu 2,5% no quarto trimestre de 2011 ante o terceiro trimestre. A queda foi a maior desde o primeiro trimestre de 2009, quando o PIB da indústria de transformação caiu 7,9%. "Pela ótica da produção, a indústria da transformação é a única que está apresentando variação negativa", ressaltou Roberto Luís Olinto Ramos, coordenador de Contas Nacionais do IBGE.

No terceiro trimestre, a indústria da transformação já estava negativa em 1,6%, em relação ao trimestre anterior. A taxa do segundo trimestre de 2011 foi de 0,5%, enquanto a do primeiro trimestre ficou em 0,6%. Na comparação com o quarto trimestre de 2010, o PIB da indústria da transformação no quarto trimestre de 2011 recuou ainda mais, -3,1%, a maior queda desde o terceiro trimestre de 2009 (-9,7%). No terceiro trimestre, a queda tinha sido menor, de -0,6%. No segundo trimestre de 2011, a indústria da transformação havia crescido 1,7% e, no primeiro trimestre de 2011, a alta foi de 2 9%.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247